domingo, 25 de novembro de 2012

daquela «pontinha de sorte em Braga»...




... que fez o Beto desviar, mas com o seu olhar, uma bola no poste, logo aos 2' de jogo;

... que, na jogada imediata, fez Otamendi (novamente) perdoar um lance na cara de Beto, onde, há duas épocas, não vacilou;  

... que, em casa do adversário, com 8' decorridos, já possuía «82% de posse de bola, 3 pontapés de canto e 1 bola no poste», aos 28' «68% de posse de bola, 6 pontapés de canto e 4 remates», no final da primeira parte «62% de posse de bola, 8 pontapés de canto, 5 remates e 5 faltas cometidas» e terminou com 59% de posse de bola, 9 pontapés de canto, 10 remates (4 à baliza arsenalista), 5 oportunidades claras de golo, 13  faltas cometidas, 17 entradas mais duras sofridas, 3 cartões amarelos e dois golos no bucho do clube do «salBaduâre»;

... que, com o equilibrar da partida por parte da equipa minhota, ainda na primeira parte, foi capaz de manter a calma e a serenidade, não se desconcentrando (sobretudo defensivamente);

... que é ter, no seu plantel, o melhor guarda-redes estrangeiro a actuar no panorama nacional - e que não deixa os seus créditos por mãos alhei(r)as, demonstrando todas as suas capacidades e plenitudes quando tem que intervir;

... que é a o plantel do FC Porto actuar como Equipa, acreditando sempre que a vitória está já ali - nem que seja na sua estrela maior a dobrar os rins a um adversário, na potência de um remate a 82km/hora e no ressalto que vai fazer a "redondinha" sobrevoar o guardião arsenalista;

... que é possuir uma enorme paz de Espírito para suportar a nomeação (cirúrgica?) de um árbitro fiel ao "xistrema", que (mais uma vez) demonstrou uma gritante dualidade de critérios (mormente na marcação rigorosa de faltas em benefício do SC Braga e no "esquecimento" de cartões amarelos para os jogadores deste último clube), evidenciando uma preocupação maior em afastar todo e qualquer perigo da área bracarense e irritantemente enervando os jogadores que vestiam de azul-e-branco (a fim, quem sabe?, de os conduzir a actos menos próprios e poder mandá-los mais cedo para o duche);

... que fará com que os pasquineiros da redacção do que se edita lá pela Travessa da Queimada, da esmagadora maioria dos "jornalistas" da nossa abjecta, muito parcial e demasiado facciosa  Comunicação Social, do burgesso das madeixas, dos milhafres que gravitam pelos meus espaços de referência nesse "maravilhoso mundo da bluegosfera"®, não tenham uma noite tranquila, amanhã apareçam no trabalho com um sorriso amarelíssimo;

... que, a par de peseiro, a desculpa que os lampiões utilizarão amanhã para permanecerem em segundo lugar no campeonato será o delírio desse «penalty que ficou por marcar aos 21', quando Alan cruza na grande área portista e vê a bola bater no braço de Alex Sandro, que tinha o braço esticado e não encostado ao corpo, num lance passível de grande penalidade, com o árbitro auxiliar bem colocado»;

... que me faz desejar que Sexta-feira seja já Amanhã e não tarde, para que o mesmo peseiro possa engolir as suas palavras «este resultado não nos vai desanimar e já na Taça vamos eliminar o FC Porto. Sentimos hoje que podemos jogar com o FC Porto sem receio nenhum»;

... que dá um imenso trabalho em conquistar e uma enorme alegria depois de terminados os 90' (mais os descontos), e que me fará dormir que nem um bebé.



beijinhos e abraços (muito tranquilos, e sempre muito portistas)!
Muito Obrigado! pela tua visita :)



9 comentários:

  1. Boas Miguel,

    Antes de mais reforçar as palavras de Vitor Pereira, a sorte dá muito trabalho ...
    Começamos com uma dupla falta de sorte nos primeiros 5 minutos por Otamendi, e uns primeiros 20 minutos de pleno dominio azul e branco. Depois o Braga equilibrou e pressionou, mas estivemos á altura em termos defensivos, no entanto ofensivamente faltava sempre qualquer coisa, até que Danilo insistiu deu para James e a "sorte" chegou ... 2 minutos volvidos, Jackson com "sorte" ganha a bola e remata á ponta de lança e faz um golaço. Ja merecia por todo o trabalho que fez durante o jogo.

    Resumindo e concluindo realmente a sorte dá muito trabalho.

    Um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Por aquilo que fui ouvindo e lendo, parecia que o campeonato acabava hoje e se o F.C.Porto não ganhasse perdia o título. Enfim, sempre a mesma história, sempre o mesmo facciosismo, sempre o mesmo anti-portismo. Vamos dando a resposta, no lugar onde tem de ser dada, isto é, dentro do campo.

    Uma primeira-parte muito bem jogada por ambas as equipas, um espectáculo de qualidade, a que apenas faltaram os golos. Entrou muito forte, dominador, jogando muito bem e envolvendo numa teia de bom futebol, um Braga aturdido, o F.C.Porto podia ter-se adiantado no marcador logo nos minutos iniciais, primeiro com Jackson a cabecear ao poste e no lance imediato e Otamendi, sozinho, a falhar um golo claro, tudo isto ainda não tinham decorridos mais de 3 minutos. Durou cerca de pouco mais de um quarto de hora esse domínio azul e branco. A partir daí, o Braga que estava muito recuado, receoso, defendendo com todos atrás da linha do meio-campo, equilibrou, cresceu, começou a criar mais lances de ataque e foi mais perigoso. Apesar de ter mais bola, o bi-campeão perdeu chama, clarividência, ritmo, organização, deixou de ser dominador, perigoso e passou a ir lá apenas em jogadas de contra-ataque. E chegou-se ao descanso com um resultado justo, embora, tudo somado e tivermos em atenção as flagrantes oportunidades que o conjunto de Vítor Pereira teve no início do jogo, coisa que o Braga nunca teve, a haver vantagem teria de ser do F.C.Porto.

    Se na primeira-etapa, houve uma equipa, o F.C.Porto, que durante um período de cerca de 15 minutos, foi muito melhor, na segunda, o jogo foi sempre equilibrado, com o F.C.Porto a ter mais bola, mas o Braga bem organizado, mais esclarecido e menos receosos, a sair muito bem para o contra-ataque e num ou outro lance, quase sempre por Éder, a criar algum perigo. Estava o jogo a caminhar para o fim e já depois de Vítor Pereira ter substituído, bem, um Varela a desaparecer, mas a tardar em refrescar o meio-campo - Defour devia ter entrado mais cedo - e quando já se pensava no empate, James tirou um coelho da cartola, adiantou o F.C.Porto no marcador, com Jackson a confirmar a vitória e dando uma vantagem de dois golos, pelo que foi o jogo, excessiva.

    Notas finais:
    Não fizemos um grande jogo, a equipa pareceu-me cansada, faltou gente na exibição portista - Moutinho, Lucho, Varela, Jackson e James, os dois últimos, apesar dos dois golos e João Moutinho, nunca jogaram ao nível que nos habituaram -, mas, tudo descaroçado, vitória muito difícil, mas indiscutível do F.C.Porto. Pelo que o Braga jogou, pela réplica que deu, talvez a diferença mínima fizesse mais justiça ao que foi o jogo. Que e repito, foi um belíssimo espectáculo.

    Voltamos à cidade dos arcebispos já na próxima sexta-feira, agora para a Taça de Portugal. Acredito que com mais tempo para recuperar - os jogos da Champions, não matam, mas moem -, podemos fazer um jogo mais conseguido, prolongar por muito mais tempo, os 15 minutos, brilhantes!, do jogo de hoje.

    Estava com algum receio em relação à falta de andamento de Alex Sandro e Fernando. Felizmente, não se notou e quer um quer outro, estiveram muito bem. Como muito bem estiveram Helton, Danilo, Otamendi e Mangala. Atsu e Defour entraram bem e Kléber não teve tempo para nada - entrou aos 87 minutos.

    Curioso, mas sintomático, a frase que mais ouvi, no final do jogo, foi: F.C.Porto cola-se ao Benfica. Ninguém foi capaz de dizer, preto no branco, F.C.Porto ganha ao Braga e recupera a liderança.
    O que faz a azia!
    Ah e Peseiro, teve azar, ficou mesmo a 9 pontos!

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Bom dia,

    Hector Berlioz, compositor francês, no século XIX disse "A sorte de ter talento não basta, é preciso, também, ter talento para a sorte", e foi o talento de El Bandido que definiu a sorte que nos levou à vitória na Batalha da Pedreira.

    À partida para este desafio, adivinhavam-se dificuldades, o adversário é de qualidade evidente, tem excelentes executantes, e tratava-se portanto do primeiro grande desafio na Liga para a nossa equipa.

    E assim foi, um jogo disputado, e que foi decidido pelo talento de James.

    Uma excelente vitória que nos coloca no lugar que é nosso por mérito.

    Realces individuais para Helton, que transmitiu segurança à defensiva, Otamendi que fez mais um excelente jogo e que com Mangala foram uns esteios na defesa, para James, o homem do jogo, que apontou o golo que nos abriu o caminho para a vitória, e por último para Jackson que apontou mais um fantástico golo.


    Muito apagados na partida de hoje Lucho e Moutinho, estando bem VP nas substituições.

    De saudar os regressos de Fernando e Alex Sandro que estiveram bem na partida após pausa prolongada.

    Na sexta-feira, nova Batalha na Pedreira, desta vez para a Taça de Portugal.

    Espera-se mais um jogo disputado e que poderá ser tal como o de hoje, definido por um momento de magia de um jogador.

    Última nota para o fantástico apoio dos nossos adeptos à equipa.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Vitória suada e iluminada pela estrelinha dos campeões. Como disse e bem Vítor Pereira, em resposta ao bronco vermelho, a sorte dá muito trabalho.

    Foi um teste qualitativo à liderança portista, num palco sempre difícil frente a uma equipa que valorizou e de que maneira a vitória portista.

    Os campeões nacionais não conseguiram praticar o seu habitual futebol apoiado e fluído, muito por mérito do adversário, que conseguiu «apagar» alguns dos jogadores nucleares da equipa (Moutinho e James). Porém, ao contrário de Peseiro, Vítor Pereira, perto do fim do jogo, deu uma mensagem de inconformismo, quando tirou um médio (Lucho) e meteu um avançado (Kléber). A verdade é que a equipa parece ter percebido e nos últimos minutos da partida fez o resultado. Foi feliz, é verdade, mas fez por merecer.

    A liderança continua a ser uma realidade ainda que presa apenas por 1 golo, o resto é folclore.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Não há ninguém que arranje as imagens da entrada do Salino aos 88 que lhe valeu o amarelo? É impressão minha ou aquilo é um vermelho directo ESCANDALOSO???

    O gajo VARREU a pés juntos o Atsu (ou o Alex, já não me lembro). É ali mesmo no meio campo com o Atsu a isolar-se pela esquerda...

    Procurem lá isso, eu não encontro!

    ResponderEliminar
  6. caríssimos,

    obrigado! pela vossa visita e pelas vossas palavras!

    e muito gratificante, para mim, saber que vocês estão desse lado ;)

    ontem, na pedreira do "salbaduôre", e mais uma vez, Fomos Porto!, car@go!

    ps:
    ainda falta muito para Sexta-feira? :D

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    abr@ços a «ambos os cinco» :D
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  7. @ magro vai ao ataque

    li aqui que a entrada foi sobre o Fernando.

    à data, eu também ainda não consegui imagens e/ou vídeos da dita...

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  8. Caro Miguel,
    Não se esperava um jogo fácil, mas esperava-se um bom jogo ou no mínimo um jogo equilibrado, entre duas grandes equipas do nosso campeonato. E assim foi,
    não foi um jogo fácil, mas na minha opinião foi um bom jogo e equilibrado. E no final, registou-se mais uma importante vitória para o FC Porto. Vítor Pereira
    fez regressar à titularidade Alex Sandro e Fernando, algo que já era esperado e algo que merece destaque. Os dois colombianos do plantel marcaram os golos
    e com eles deram mais uma vitória ao dragão, mais três importantes pontos nas contas do campeonato. Ah, o FC Porto continua líder, é verdade que não está
    sozinho, mas é o dragão o líder. Há mais Sporting de Braga FC Porto na próxima Sexta, desta feita para a Taça de Portugal.

    Cumprimentos

    Ana Andrade

    www.portistaacemporcento.blogspot.com
    www.artigosonlineanaandrade.blogspot.com

    ResponderEliminar
  9. @ Ana

    obrigado! pela visita e pelas tuas palavras!

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    cumprimentos cordiais
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar

vocifera | comenta | sugere
(sendo que, num blogue de 'um portista indefectível', obviamente que esta caixa é destinada preferencialmente a 'portistas dos quatro costados'. e até é certo que o "lápis", quando existe, é azul.)

Show Emoticons