quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

da minha percepção do Clássico. sim!, desse mesmo.


© google


«
Este plantel é, na minha opinião (e que vale o que vale) um "embrião" de - aí sim! - um grande futuro plantel! De resto, o que temos é gente imberbe à procura do seu espaço no futebol, do seu talento; em suma, na sua afirmação no futebol europeu.
Senão vejamos alguns exemplos que até constituem, grosso modo, a exemplificação da argumentação da minha opinião: 
Danilo - só agora se pode afirmar que está adaptado ao nosso futebol; daí evidenciar toda a sua qualidade, o que o conduziu à selecção brasileira, e «apenas e só» com 23 anos!!!
Martins Indi - vindo de um futebol mais ou menos parecido com o nosso (o holandês), não deixa de ser ainda um corpo que procura se integrar na nossa filosofia de jogo. 
Brahimi - um dos que "andou perdido" em equipas de menores dimensões e onde tudo lhe era permitido, devido ao seu talento. Numa equipa como o FC Porto o talento tem que ser forçosamente prestado em prol da equipa e não ao contrário, daí o seu actual "apagamento" virtual. 
Óliver - um "Frasco" qu«apenas e só» teve oportunidade de se mostrar nFC Porto. Ou seja: este é o primeiro ano em que actua "a sério" e numa primeira equipa. Talento e garra não lhe faltam. 
Tello - o mesmo (ou quase) do que disse de Óliver! 
Ruben Neves - 17 anos! mais palavras para quê? 
Casemiro - 20 anos. Brasileiro. A descobrir as funções de "trinco". Conhecem mais algum jogador desta nacionalidade e nesta posição específica, a dar cartas na Europa? 
Marcano, Campaña, Otávio, José Angel, Ivo Rodrigues, Ricardo Pereira e por aí fora...
São rebentos (com excepção a Marcano e aos seus 27 anos
) de onde se esperam bons frutos! 
E finalmente, o último mas o não menos importante: Julen Lopetegui.
Um jovem treinador, habituado a treinar jovens, com uma filosofia muito própria mas também ele num estado de aprendizagem (e, neste mundo, aprende-se até morrer; mesmo o Mourinho, acreditem!). 
Por isso eu, portista de baba e ranho, não peço o titulo. Não peço a Liga dos Campeões, nem tão pouco a pasmacenta Taça da Liga. «Apenas e só» peço que deixem esta equipa crescer. Deixem estes miúdos "ganhar calo". Haja paciência com eles, porque, como são jovens, mais facilmente aprendem com os erros. Sejamos tolerantes.
Afinal, perdemos porque fomos massacrados? Perdemos porque fomos esmagados? Perdemos porque fomos dizimados? Perdemos porque não passámos do meio-campo? Perdemos porque a táctica foi errada? não!, não!, não!, não! e não!
Bendito futebol inglês que ousa esperar para ver e depois julgar, ao contrário do nosso - que primeiro julga e depois nada vê!!!

»



caríssimO,

depois do desastre e/ou descalabro e/ou desgraça e/ou duro revés e/ou desaire futebolístico da jornada do final-de-semana passado, com novo 'déjà vu' ontem, no Dragãozinho, o comentário do "bluesky", no "dragão até à morte", foi dos mais lúcidos que encontrei nesse "maravilhoso mundo que é a bluegosfera"®.e vai ao encontro daquela que também é a minha percepção para a presente temporada, a qual não se resume ao encontro ante o 5lb.

é certo que o que aconteceu foi mau, sobretudo para o nosso estado de espírito, mormente na quadra festiva que se aproxima.
é seguro que a derrota deve-se exclusivamente a nós e à nossa pueril (por que imberbe) "infantilidade".
também é correcto afirmar-se que os erros de arbitragem (que os houve) não explicam, por si só, essa derrota.
foi evidente que a equipa deixou-se enredar numa trama lampiónica plena de trafulhice, de ratice, de canalhice e de filha da putice, não se conseguindo libertar de um "espartilho" em que o «catedrático do futebol» é «mestre»: a táctica do anti-jogo.
mas, nada "disto" apaga o nosso mau-humor, o nosso ressabiamento, o facto de estarmos lixados com um F bem maiúsculo, porque perdemos um encontro ante o nosso arqui-rival (dois, se incluirmos a partida de hóquei. e na mesma semana...)... é que nem trinta imagens "à bruta" da Kate Upton nos conseguem animar...

mesmo assim e juntamente com o que é descrito nesta "posta de pescada"® aqui, datada de Março de 2013, após um empate no "reino muito distante dos viscondes falidos de Alvaláxia"®, ante o pior spórtém dos últimos anos, dá para perceber que o que estamos a passar felizmente que é esporádico; em que a "Parte" não se confunde com o "Todo"; que ainda falta às agremiações da Segunda Circular comerem muita papinha Cerelac para conseguirem quebrar a hegemonia portista e por muito que o lampião de Paredes o decrete todas as semanas (ouver aqui, a partir dos 53')...

portanto e assim concluo esta temática, virando a página para o confronto que se segue, ainda bem que há quem tenha a cabeça suficientemente "fria" para perceber que há que conceder tempo ao Tempo necessário para esta equipa, a qual, estou convicto, ainda nos dará muitas alegrias. e até Maio de 2015


entretanto e como sou um gajo porreiro, informo-te que na segunda parte desta "posta de pescada"®logo a seguir ao «gosto» do "faceboKas"®, em «'no pare, sigue, sigue'», segue-se um conjunto de trinta imagens em formato GIF de Kate Upton, para descontrair. e para nos conseguirmos abstrair de Domingo passado e de quaisquer eventuais resquícios que ainda subsistam. e, já agora, antes que tais "pérolas" desapareçam desse imenso "mar" que é a net, tomando a liberdade de seleccionar algumas, para "memória futura"
faço votos para que sejam do teu agrado (tal como foram para mim) :D
e não precisas de agradecer; eu sei que sou um querido! ;)


"disse!"



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

de uma crítica construtiva... ['nortada' incluída]

(clicar na imagem para ampliar)



caríssima(o),

começo por informar que o meu progenitor - "aquele" alguém «distante da vista, mas muito perto do coração» -, já está melhor de Saúde, apesar de ainda estar sob (muita) vigilância médica. as perspectivas de comer o bacalhau e as batatas, em Família, são superiores às de Ontem, o que não deixam de ser (muito) boas notícias.
a quem disponibilizou cinco minutinhos do seu precioso tempo para enviar uma mensagem de apoio e de força, o meu sentido e sempre agradecido "muito obrigado!". bem-hajam!

depois, reforço a ideia de ontem, com a repetição da imagem acima e do teor de uma tarja que data de Março de 2003
seria (muito) bom que aquela mensagem estivesse sempre presente nos corações dos portistas, sobretudo de quem, nestas ocasiões em que se pede um pouco (mais) de cabeça fria, "explode" contra tudo e contra todos, questionando "as calças""o cu" e "os suspensórios"...
outros há que aproveitam estas alturas para tecer (vamos apelidá-las assim, de) "críticas" que, de reflexivas, só têm o fel que expelem de uma forma pior do que muitos lampiões, num assomo de um "portismo" que custa-me, mais do que compreender, aceitar... mas, desses (felizmente que poucos), o Futuro encarregar-se-á de lhes (com)provar o quão injustos são para quem, mesmo agora, num momento de infortúnio, ainda lhes dará alegrias. só não sei é se celebrarão os feitos desportivos que estão para vir - e estou certo que acontecerão! - com o mesmo entusiasmo do que eu... também será para o lado que dormirei melhor...

de volta à imagem acima.
não deixa de ser assaz curioso que, nos dois últimos clássicos que aconteceram no nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos, os poucos adeptos que ainda vão puxando pela equipa, evitando (muitas vezes) que aquele palco tenha mais animação do que num velório, constatando que a equipa não retribui, em campo, o seu esforço vocal, deliberadamente tenham optado pelo silêncio... mais do que escutar os "incentivos" vindos do sector visitante (sempre muito "agradáveis" de se escutar, sobretudo se não tiverem o devido contraditório - então agora, que estão colocados num local onde efectiva e comprovadamente se fazem ouvir...), custa-me perceber qual é a estratégia que se pretende com... silêncio. a sério que não compreendo, mormente porque a sua existência serve exactamente para contrapor o... exacto!silêncio do público em geral.
fica feita a minha singela advertência a quem seja membro das claques organizadas e legais do nosso clube do coração, e que passe por este espaço de discussão pública, para que transmita esta crítica positiva e construtiva a quem de direito.


por último, para quem tiver esse interesse e porque hoje é Terça-feira, divulgo a última NORTADA, do nosso enfant terrible Miguel Sousa Tavares, publicada na edição impressa do pasquim da Travessa da Queimada, sob o título "não jogam, mas ganham(aqui), e com a qual concordo. em absoluto. 


"disse!"



segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

«contigo até ao fim!» [actualizado]


© google


... e, a três horas do início da partida, recebe-se a notícia de que alguém «distante da vista, mas muito perto do coração», encontra-se na UCI de um hospital do Grande Porto, devido a um AVC que surgiu sem aviso - como todos os acidentes imprevistos, que aparecem vindos do Nada e sem aviso prévio...

todo o meu Espírito emudeceu. toda a ansiedade (com o jogo) desvaneceu. toda a alegria extinguiu-se. até agora. e assim permanecerá nos próximos tempos, até que o Sol volte a brilhar e a Alma se sinta revigorada.

«contigo até ao fim!»



em Março de 2003, após o encontro frente ao Panathinaikós Athlitikós Ómilos, nas Antas:


(clicar na imagem para ampliar)


«und wenn du fällst bin ich bei dir»

[se tu caíres, estarei contigo]


© google
(clicar na imagem para ampliar)


post scriptum:


para os lampiões que amiúde costumam "sair da toca" só nestas alturas e que já vão fazendo a "reserBa" de uma festa antecipada (apressada?)e para todas(os) quantas(os) precipitadamente já me vão desejando "muitas felicidades", extensíveis a quem eu mais Amo, aquele meu já (re)conhecido «abr@ço fraterno, com votos de que continuem todas(os) a ir p'á g'anda p*t@ que vos pariu»...


"disse!"


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

tempos diferentes, a mesma vontade ['brasão abençoado' incluído]


© pasquim do 'sinhôre' serpa

«

[...]


Quero frisar que os jogadores do FC Porto, não só se portaram de uma maneira brilhante em ambos os desafios, como foram extremamente correctos para com os seus adversários, e para com o publico, não tendo abandonado o campo de jogo no decorrer da segunda parte do primeiro desafio por má vontade, mas sim porque o publico se manifestou ruidosamente e invadiu o campo, não consentindo a continuação do jogo (contra o Império). 

Eu não viria de modo algum falar neste assunto se a “Imprensa Desportiva” da Capital pusesse um pouco de parte o seu facciosismo e fizesse, com imparcialidade e lealdade, o relato de ambos os desafios. Mas assim não procedeu e os jornais que têm a sua “secção desportiva” e que pelo menos costumam anunciar, aos seus leitores, os resultados dos desafios, deixando desta vez de o fazer - excepto um, que falou do resultado do primeiro desafio, mas que não disse a expressão da verdade. 
Com efeito, FC Porto não perdeu com o Império, como esse jornal publicou; se tivesse contado os factos como eles se passaram, deveria ter dito que o jogo entre o FC Porto e o Império não chegou a terminar porque o publico, indignado, principalmente com a arbitragem, protestou ruidosamente, incitando os jogadores a abandonarem o campo, sendo este logo invadido pela assistência, não consentindo que o jogo continuasse e aclamando com entusiasmo os jogadores portuenses, sendo até o guarda-redes levado ao colo pela multidão e delirantemente ovacionado. 
Esta é que é a pura verdade: FC Porto não perdeu com o Império.

O segundo desafio, jogado contra o benfica, foi ganho pelo FC Porto por 3-2
Este resultado não veio em nenhum jornal dos que mantêm aquela “secção desportiva”. A razão deste silencio? É simples: Lisboa, em futebol, há dez anos ou mais que estava habituado a vencer o FC Porto, conseguindo quase sempre mais ou menos fáceis vitórias. Este ano [1920], o FC Porto, quis vencer e venceu! E para isso trabalhou com vontade, desfazendo assim a ideia que muitos tinham de ser impossível tão cedo o Norte triunfar do Sul. Eis a razão por que foi tão pouco falada a vitória dos portuenses.

Quanto aos jornais desportivos, um deles - que por sinal costuma trazer uma resenha bastante desenvolvida dos bons desafios -, limita-se a fazer uma pequena apreciação que por acaso não condiz nada com o título, e essa mesma feita em tipo pequeno, como que a ver se passa despercebida. Inclusivamente em lugar de afirmar que «FC Porto venceu o benfica», diz: «team do Porto vence o benfica»...

Faço esta pequena observação, que poderia parecer sem importância, mas é para que todos fiquem sabendo que o grupo que foi a Lisboa é única e exclusivamente de elementos do FC Porto e não com alguns do Oporto Cricket Club, como um jornal desportivo da capital fez constatar, talvez por más informações…

[...]


»


caríssima(o),

aquele é um excerto de uma carta, dirigida ao jornal “O Primeiro de Janeiro”, assinada por Alexandre Cal, à data capitão-geral do nosso FC Porto, a qual viria a ser publicada na sua edição do dia 17 de Março de 1920.
não deixa de ser assaz curioso como Pedro Marques Lopes, na sua coluna de opinião habitual, no pasquim da Travessa da Queimada (BRASÃO ABENÇOADO), publicada na edição impressa de hoje, em "querer ganhar" (aqui), aborda uma temática em tudo similar...
assim se justifica o título da presente "posta de pescada"®, pois que, quem como eu tem acompanhado a realidade impressa de algum jornalixo tuga, facilmente se apercebe que, quase um século depois, "tudo" permanece inalterável...


para finalizar, a imagem que (definitiva e literalmente) embeleza esta prosa feia, chata e aborrecida, conferindo-lhe outra "cor", vivacidade e "alma", refere-se ao sorteio que ocorreu esta semana para a "ex-taça da bjeKa"®.
não pretendo repetir o que, em tempos não muito idos, afirmei (e por mais do que uma vez) sobre o que considero que deveria ser a nossa prestação no "troféu" em causa: para mim, é uma "competição" que só serve para dar tempo de jogo aos jogadores menos utilizados e, se possível e muito desejável, experiência a jogadores da equipa B. se conseguirmos atingir a final da "prova", óptimo; se tal não for possível, menos mal na mesma, que não irei perder horas de sono por esse fracasso. o que não admitirei, nunca!, seja em que circunstância for, é que se «danifique a camisola e o clube».

o que a mim me causa "espécie" é que, mais uma vez, o "prestígio" desta "competição" seja beliscado, com dois grupos com cinco equipas (onde se inclui o nosso FC Porto) e outros dois com quatro... e já nem me quero referir ao autêntico atropelo à verdade desportiva inerente à dita cuja e que deveria estar sempre presente...


post scriptum muito pertinente:


aquele olhar matador de Yokohama já foi há dez anos...


"disse!"



quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

pergunta-se... [actualizado]



1)

quem é que, tendo ido ao estádio, pago bilhete para ver um jogo de 'Champions' «ao vivo e a cores» ou que seja detentor de um passe 'dragon seat', não viu o golaço do Aboubakar?

© google | Tomo II


de facto e depois do momento Kelvin, ainda há portistas que não aprenderam...


2)

sabendo-se que haveria poupanças no "onze", apesar do discurso oficial, e que quem jogasse de início não teria muitas rotinas de jogo (só quem nunca jogou futebol é que poderá considerar que, numa situação como essa, o(s) jogador(es) corresponde(m) "de imediato" e de igual forma como um habitual titular), como é que se podem tecer críticas tão injustas sobre o futebol praticado, no empate de ontem?
sincera e honestamente, não as compreendo, tenho dificuldade em percebê-las no contexto traçado e extrema relutância em aceitá-las. 
mas certamente que o defeito está em mim, que prefiro analisar a Realidade pela perspectiva do "copo meio-cheio"...


3)

Arsenal e Manchester City (Inglaterra); 
Basileia (Suíça); 
Juventus (Itália);
Paris Saint-Germain (França);
Bayer Leverkusen e Shalke 04 (Alemanha).

quem é que arrisca um prognóstico?


eu considero que há contas a ajustar com a Juve [escarro] desde... Basileia, em 1984. mais do que com o Shalke 04, em 2008.


actualização às 15h53m:


© pasquim do 'sinhôre' serpa
(clicar na imagem para ampliar)


estou em crer que a UEFA do "amigo" Platini não será tão complacente quanto este trio aqui, em relevar o mau comportamento dos calimeros na maior prova de clubes a nível mundial:

© pasquim do 'sinhôre' serpa
(clicar na imagem para ampliar)



vídeo interessante aqui.
a Verdade é como o azeite, car@go! e como a Vingança, também: tarda, não falha e serve-se fria.


"disse!"



quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

not@ 'Champions'... [editado]



«

lista de 18 convocados:


Andrés Fernández e Ricardo Nunes (g.r.); Alex Sandro, Maicon, Marcano, Martins Indi, Ricardo Pereira; Evandro, Herrera, Óliver Torres, Quintero, Rúben Neves; Aboubakar, Adrián López, Jackson Martínez, Kelvin, Quaresma, Tello.

»



caríssima(o),

o melhor elogio que posso fazer ao grupo de trabalho às ordens de Julen Lopetegui é que, face ao desempenho brilhante nos cinco jogos anteriores, para a mais difícil e exigente e, ao mesmo tempo, mais prestigiante prova de clubes a nível mundial, constata-se que, na convocatória* para o jogo desta noite, qualquer um daqueles jogadores está capaz de assumir a responsabilidade de uma partida de 'Champions' sem comprometer o grupo.
[* sendo que os negritos são da minha responsabilidade, na minha aposta para o onze mais provável, para encarar tal desafio]


é também um prémio mais do que justo a todos quantos trabalham diariamente para serem titulares e, por razões (exclusivamente) técnicas, não o são, face à Qualidade daquele mesmo grupo - e como Julen Lopetegui já o afirmou: 
« É certo que a época é longa e quando menos esperas "toca o despertador". Ele não avisa e tens que estar à altura de responder. Estou convencido que muitos desses jogadores, com menos minutos, vão ter esse momento e terão que estar preparados. »

que quem venha a ser titular e pela primeira vez esta época naquela prova, acima de tudo desfrute do jogo e dessa emoção única que é jogar uma partida da Liga dos Campeões «ao vivo e a cores» e sem ser na 'playstation'.

"disse!"


terça-feira, 9 de dezembro de 2014

'nortada' do meu (des)contentamento... [actualizado]


© pasquim do sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)


post scriptum pertinente:


1)

no seguimento do meu e-mail aberto à SportTv, de 27 de Novembro, recebi uma resposta, datada de 28 de Novembro, do seu Departamento de Relações Públicas a dar-me conta que:
« Relativamente à sua questão, vimos por este meio informá-lo que reencaminhámos de imediato o assunto à Direcção de Programas, que nos informou que vai ser devidamente analisado. »

ainda continuo à espera do reporte de tal análise...

2)

sobre o e-mail aberto enviado ao sr. luís sobral e sobre o e-mail enviado ao "excremento" do Delgado, "estamos conversados"...

3)

um 'sinhôre' "jornalista", com nome próprio de marca de bacalhau, na edição impressa de ontem, no pasquim da Travessa da Queimada (aqui), redigiu um artigo que ocupou uma página inteira e até foi alvo de chamada à capa do dito (!!), com idêntica informação que, na edição de hoje do pasquim do 'Quim Oliveirinha (aqui) ocupou uma singela nota de rodapé...
um 'sinhôre' "jornalista", com apelido de prato de bacalhau e correspondente em Itália, na edição impressa de hoje, no pasquim da Travessa da Queimada (aqui), redigiu um artigo de opinião com um título deveras interessante, no sentido em que é o que eu sinceramente lhe recomendo que faça. e "ontem já era tarde", para a saúde (inclusive mental) de todas(os) que o temos que gramar...

de facto, o bacalhau é mesmo o que está a dar, nesta época...


"disse!"



segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

do «gloriosamente» se branquear a 'verdade desportiva'...


© pasquim do sr. serpa
(clicar na imagem para ampliar)


«


exmo senhor
"intestino" delgado,

o meu nome é Miguel Lima e sou um fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto.
caso ainda não esteja recordado da minha pessoa, sou o "chato do gajo do blogue Tomo II"... exacto!, esse mesmo...

peço desculpa por o incomodar numa tarde solarenga deste mês de Dezembro, ainda por cima feriado nacional, mas "ele há coisas" que não podem esperar por um Amanhã, sequer por um "em breve".
pela presente mensagem, apresento-lhe uma pertinente reclamação, enquanto cliente regular do pasqui... "jornal" onde o sr. trabalha e amiúde escreve uns considerandos, na sua coluna de opinião "cartas na mesa".
esta refere-se ao seu escrito, sob o título "os meus, os teus e os nossos...", publicado na edição de hoje, 08 de Dezembro.

não lhe vou recordar o «fundamentalismo» que existe no seu texto, mormente o (i) não ter referido uma única linha, uma única palavra, ao autêntico atropelo à Verdade Desportiva deste campeonato que aconteceu no antro de Carnide, no passado Sábado, e a (ii) conveniente escolha de exemplos que sustentam a sua argumentação em defesa de uma clarificação dos empréstimos de jogadores - como foram os casos de Tozé e Jorge Costa, dois jogadores que envergaram o "manto sagrado" azul-e-branco.

também não lhe irei recordar que o sr., mais uma vez e porque se dirige para uma plêiade de «gloriosos» leitores do pasqui... "jornal" onde o sr. trabalha, confundiu "alhos com bugalhos", na esperança de sonegar o que os factos o desmentem. explico.
o sr., pela responsabilidade da profissão que exerce e mais do que ninguém, deveria saber que os jogadores dos quadros do CF 'Os Belenenses' Miguel Rosa e Deyverson não são jogadores emprestados pelo 5lb, antes que este detém direitos comerciais em posteriores vendas, pela SAD do Belém, dos seus direitos desportivos, num «campeonato que nos pedem para levar a sério», tantos são os casos de «gloriosa» trafulhice...
portanto e só por manifesta má-fé é que o sr. Delgado empregou aqueles exemplos acima, num cenário onde (in)tenta sonegar a Verdade, inclusive a Desportiva.

assim e mais uma vez, o que singelamente e sem «fundamentalismos» lhe pretendo transmitir é tão-somente o meu mais profundo desagrado pela forma desabrida, desenxabida, torpe, vil, canalha e muito pouco Ética, que o sr. amiúde se refere a essa instituição centenária que dá pelo nome de Futebol Clube do Porto, e largas vezes e por inerência, à pessoa do seu grande presidente, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa.
e, mais uma vez lhe recordo, que o «fundamentalismo» que o sr. apregoa existir no clube da InBicta reside exclusivamente em si. e sabe porquê? porque o sr. e muitos outros como o sr., detestam assistir às vitórias do Futebol Clube do Porto. e, acredite: o Futebol Clube do Porto continuará a vencer. pode não ser já hoje, mas estou certo de que o Futuro continuará a ser pintado em tons de azul-e-branco - e contra todo o seu/vosso «glorioso» «fundamentalismo» futebolístico.

por último, informo-o de que poderia ter cedido à (baixa) tentação de glosariamente gozar com o seu escatológico apelido, intercalando-o e relacionando-o com o «fundamentalismo» da sua visão acerca da presente reclamação. acontece porém que a Educação que recebi impediu-me de tal...


para finalizar e sem lhe querer retirar muito mais tempo, lanço-lhe uma rápida pergunta à qual, não nego, agradeceria uma resposta da sua parte:

pergunta)

não acha que é legítimo que os adeptos portistas que, tal como eu, compram o pasqui... "jornal" onde o sr. tão «gloriosamente» escreve e que também assistem às emissões do seu canal de televisão, voltados sobretudo para o público alvo da agremiação de Carnide (vulgo 5lb), considerem que quem trabalha para o 'pasquim da Travessa da Queimada' não são mais do que uns jornalistas vendidos aos clubes da Segunda Circular, sendo seus autênticos pés-de-microfone e que não passam de uns verdadeiros invertebrados, cujo Rigor, Ética e Deontologia a que estão obrigados, são diária, quotidia e «gloriosamente» ignorados?
(e por muito que o vosso Editor Chefe, joão (nada) bonzinho tenha escrito que «os jornalistas desta casa não estão (e nunca estarão) ao serviço de empresários, dirigentes ou directores de clubes; tentam alguns dirigentes, directores de clube ou empresários, servir-se dos jornalistas? têm os dias contados» - "esquecendo-se", por exemplo, do que afirmou o ex-futebolista Fernando Mendes, no seu livro "Jogo Sujo", e que, à data, ainda não foi desmentido nas instâncias próprias, ie, nos tribunais.)


há-de convir que é uma pergunta pertinente e que se foca sobretudo no devido contraditório de matérias que o vosso pasqui... "jornal" edita diariamente e que têm sido abordadas de uma forma (digamos assim) muito "enviesada", ignorando aquelas premissas deontológicas, referidas anteriormente. 
também terá que concordar que a sua resposta a estas questões permitirão elucidar os leitores afectos ao Futebol Clube do Porto no que concerne ao tratamento jornalístico dado ao quotidiano do clube e que esse pasqui... "jornal" insiste que «não é diferenciado».


despeço-me, apresentando os meus melhores cumprimentos e reescrevendo a minha ideia final, patente em mensagens anteriores, por ser algo em que acredito:

« 
sei que "isto" mais não é do que um desabafo de alguém que gosta de Futebol e é indefectível portista. se comparado, com a situação económica do nosso País, por exemplo, este assunto «são 'peaners'»...  
mas, também compreenderá que não poderia ficar calado com (mais) esta incongruência do foro do tratamento jornalístico que o pasqui... "jornal" em causa "brinda" os leitores afectos ao FC Porto diariamente... 
»


somos Porto!, car@go!  
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»! 


o administrador do Tomo II
Miguel Lima

»



desses «acordos de cavalheiros»... [sobre o 'affaire' Rosa & Deyverson]


© google | Tomo II


«


exmo senhor
luís sobral,

o meu nome é Miguel Lima e sou um fervoroso adepto do Futebol Clube do Porto. caso ainda não esteja recordado da minha pessoa, sou o "chato do gajo do blogue 'Tomo II"... exacto!, esse mesmo...

peço desculpa por o incomodar numa tarde de uma Segunda-feira solarenga de Dezembro, ainda por cima sendo feriado nacional, mas ele há coisas que não podem esperar por um Amanhã, sequer por um "em breve".

pela presente mensagem, apresento-lhe uma pertinente reclamação, enquanto cliente regular do programa de televisão onde é editor, o "menosfutebol".

em Dezembro de 2005, o sr. luís sobral escreveu um "textinho simpático[e que se reproduz na segunda parte deste e-mail aberto, "não vá o diabo tecê-las" e ele desaparecer "por artes gloriosamente mágicas"], repleto de insinuações sobre os meandros do Futebol, a propósito da ausência de Maciel, à época um jogador emprestado pelo FC Porto à (entretanto "defunta") UD Leiria. se bem se recorda, foi um caso trazido à colação por denúncia do 5lb (vulgo «exposição») e que redundou no seu arquivamento.
mas, naquele, o sr. luís sobral afirma:

«

[...]

Dito de outra forma: o FC Porto beneficiou claramente com esta situação. 
Num jogo difícil, viu o adversário amputado do único totalista; quando a União defrontar os outros grandes, Maciel lá estará, no seu lugar, disposto a fazer tudo para ganhar, e como se espera de um profissional.
Na prática, dois «cavalheiros» impediram um jogador de exercer a sua profissão. Acontece em Portugal, num campeonato que nos pedem para levar a sério...

»



nove anos se passaram. houve quem voltasse a ser tetracampeão e a vencer novamente a Taça UEFA, actual Liga Europa; houve quem persistisse em «fazer isto por outro lado», e a aliciar jogadores influentes dos adversários, em vésperas de os defrontar (Jorge Ribeiro e Makukula) ou até no próprio dia da partida (Jardel).
a última jornada do campeonato em curso não foi excepção, com os jogadores dos quadros do CF 'Os Belenenses' Miguel Rosa e Deyverson a terem sido impedidos de ir a jogo. note-se que não são jogadores emprestados pelo 5lb, antes que este detém direitos comerciais em posteriores vendas, pela SAD do Belém, dos seus direitos desportivos, num «campeonato que nos pedem para levar a sério», tantos são os casos de «gloriosa» trafulhice...
ontem, Domingo, dia 07 de Dezembro, o sr. luís sobral escreveu um textinho bastante simpático e aprazível sobre esta questão [e que se replicará também na segunda parte deste e-mail aberto, pelas razões expostas e que são: "não vá o diabo tecê-las" e ele desaparecer "por artes gloriosamente mágicas"].
nele, o que se retém é que o sr. luís sobral não pôde ir tão longe como em 2005, pois que «o que sabemos é pouco»... se calhar, manifestamente pouco, mesmo para o sr., que se assume como um jornalista com responsabilidades, e que são várias.

de facto, actualmente e de acordo com o seu curriculum, que (ainda) é públicoo sr. luís sobral é o Director Editorial do 'Media Capital Digital', Director e fundador do "jornal desportivo" 'Maisfutebol' e ainda o Editor do programa 'Maisfutebol', na TVI24. 
portanto, não faz jus ao seu apelido, porquanto não lhe sobra tempo para se debruçar, de igual forma abnegada, à questão de Miguel Rosa e Deyverson.
mas eu percebo o sr. luís sobral, no sentido em que é muito difícil e nada «glorioso» criticarmos o clube do coração; é bem mais fácil atirarmos pedras ao telhado do vizinho...

felizmente que nem todos são como o sr. luís sobral, e muitos outros como o sr.
é que os mesmos assomos de consciência mesmo não aconteceram a Paulo Jorge Pereira que, no 'Jornal Económico' de 05 de Dezembro escreveu:

«

Na época passada, à 21.ª jornada, no início de Março, o CF 'Os Belenenses' recebeu o 5lb e, à última hora, Miguel Rosa, Deyverson e Rojas, jogadores do clube do Restelo cedidos pelos lampiões, ficaram de fora do jogo.
«Posso dizer que não foi por uma opção técnica», sustentou, na altura, Marco Paulo, responsável técnico da formação de Belém. Pouco depois, tornou-se pública a ideia de que um acordo verbal na transferência dos jogadores levara a essa situação.

Amanhã, sob orientação de Lito Vidigal, o CF 'Os Belenenses' visita 5lb, num clássico em que a história ameaça repetir-se, ou seja: uma percentagem detida pelo clube da Luz em relação ao passe de Miguel Rosa e a opção de recompra no que diz respeito a Deyverson, podem afastar os jogadores do encontro desta jornada.

Nada nos regulamentos da competição defende casos deste género e, sejam quais forem os clubes envolvidos, não faz sentido que isto aconteça. 
Se um clube não está interessado ou não pode contar com determinados jogadores, a partir do momento em que os cede não deve exercer qualquer tipo de influência para impedir que representem o clube seguinte quando se reencontram. Pior ainda se, de um lado, está um dos três grandes, pois é suposto que a sua força esteja acima de questões desta natureza.

A integridade das competições não vive apenas de um contexto em que não haja resultados combinados. É preciso respeito entre os clubes e os dirigentes devem ser os primeiros a garantir que assim é, caso contrário corre-se o risco de se chegar à conclusão que, no final da temporada, o campeão só foi a melhor equipa porque defrontou alguns adversários diminuídos. E ganhar a qualquer custo não deve ser a meta dos campeões.

»



para finalizar e sem lhe querer tirar muito mais tempo, lanço-lhe uma rápida pergunta à qual, não nego, agradeceria uma resposta da sua parte:

pergunta)

não acha que é legítimo que os adeptos portistas que, tal como eu, lêem o pasqui... "jornal" onde o sr. luís sobral tão «gloriosamente» escreve, considerem que quem trabalha para o grup'Media Capital Digital' não são mais do que uns jornalistas vendidos aos clubes da Segunda Circular, sendo seus autênticos pés-de-microfone e que não passam de uns verdadeiros "invertebrados", cujos Rigor, Ética e Deontologia a que estão obrigados, são diária, quotidia e «gloriosamente» ignorados?


há-de convir que é uma pergunta pertinente e que se foca sobretudo no devido contraditório de matérias que o grup'Media Capital Digital' edita diariamente e que têm sido abordadas de uma forma (digamos assim) muito "enviesada", ignorando aquelas premissas deontológicas, referidas anteriormente.

também terá que concordar que a sua resposta a esta questão permitirá elucidar os leitores afectos ao Futebol Clube do Porto no que concerne ao tratamento jornalístico dado ao quotidiano do clube e que o grup'Media Capital Digital' insiste que «não é diferenciado».


despeço-me, apresentando os meus melhores cumprimentos e reescrevendo a minha ideia final, patente em mensagens anteriores, por ser algo em que acredito:

« sei que "isto" mais não é do que um desabafo de alguém que gosta de Futebol e é indefectível portista. se comparado, com a situação económica do nosso País, por exemplo, este assunto «são 'peaners'»... 
mas, também compreenderá que não poderia ficar calado com (mais) esta incongruência do foro do tratamento jornalístico que o seu jornal "brinda" os leitores afectos ao FC Porto diariamente... »


somos Porto!, car@go!  
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»! 


o administrador do Tomo II
Miguel Lima

»