quinta-feira, 10 de novembro de 2011

dragão de ouro: "doctor J"


© Google

caríssima(o),

este é um post especial; muito especial, até.
tudo porque dou à estampa uma entrevista a um de vós, portista confesso, indefectível adepto, visitante regular deste espaço (que paulatinamente conquista o seu cantinho nesse "maravilhoso mundo que é a bluegosfera"®), amiúde comentador das alarvidades que escrevo e um grato (e enorme) Amigo - daqueles que sabe bem ter por perto (mesmo com 150 km de distância a separar o olhar) e cuja Amizade não se discute.

portanto e no seguimento da rubrica "binte perguntas a...", eis "a tal" entrevista ao "doctor J" - João, para os Amigos -, um dos nossos e com (mais do que) um pensamento diferente dos demais sobre o sentir um amor comum e que dá pelo nome de FC Porto!
espero que a sua leitura seja do teu agrado - tanto quanto foi para nós prepará-la especialmente para ti! ;)

beijinhos e abraços (tripeiros)!
e Muito Obrigado! pela tua visita :)



© Google | Miguel Lima (Tomo II)


binte perguntas a… "doctor J"

I. dados biográficos (gerais)
nome: João Oliveira | "doctor J"

data de nascimento (mês, ano): Abril de 1976
signo do Zoodíaco: carneiro    

signo chinês: dragão (!!)

naturalidade (Freguesia, Concelho, Distrito):
Cedofeita, Porto, Porto
residência (Freguesia, Concelho, Distrito):
Tavarede, Figueira da Foz, Coimbra

área de actividade profissional:
medicina veterinária

estado civil: casado (nr. de rebentos: 2)

II. entrevista
1. a primeira pergunta foge um pouco à rotina criada nesta rubrica, no defunto TOMO I.
como é ser-se portista na Figueira da Foz? é difícil/fácil? é bom/mau? é porreiro/uma cagada (com m)? e és (in)feliz com a realidade de estares a 150km do ambiente do Estádio do Dragão?
É bom e mau pela mesma razão: aqui é tudo verde e vermelho. Mas eu gosto de ambientes adversos.
Portanto, passo os dias de jogo sempre em ambientes (públicos) explosivos contra mim. E como há sempre (pelo menos) um cliente meu nesses restaurantes, acaba por se juntar à minha mesa e apazigua os ânimos eventualmente exaltados.
Aliás, eu gosto de assistir a jogos com benfiquistas porque acaba sempre por ser um debate entre as glórias que eu vivi e as glórias de que eles ouviram falar… Gosto muito!
Em relação à distância, não consigo ir ao Dragão com a frequência que gostava. Agora que estou em ano curricular de doutoramento na cidade do Porto, espero encontrar-te por lá algumas vezes…

1.1. se possível, descreve-nos uma situação caricata que tenhas vivido/presenciado/experimentado que ilustre a tua tenacidade em defesa das nossas cores em “terras estranhas”.
Situação caricata foi festejar a nossa última Liga dos campeões num cortejo automóvel com três automóveis. [!!] Apitámos pela cidade toda!
Mas é triste ver os anticorpos que ainda subsistem contra o nosso clube em diversas cidades do país…

1.2. alguma vez foste ver um Naval vs. FC Porto "ao vivo e a cores"? quando foi a última vez?
Acho que vi [quase] todos os Naval vs FC Porto enquanto a Naval esteve entre os (ditos) grandes.
No último ano não, porque foi logo na primeira jornada e eu estava de vacaciones. Foi então no ano anterior [época 2009/2010]... O FC Porto ganhou [por 1-3] com um golo do Ernesto Farías, se não me engano.

2. ainda te lembras da primeira vez que entraste num estádio de futebol? e já agora: qual foi o estádio, quando foi (basta o ano), que equipas jogaram e qual o resultado final?
Foi o jogo que eu indico na resposta 5, portanto é só espreitar…
Em pequeno o meu pai nunca me levou ao futebol. Nós morávamos em Vila Nova de Gaia e não há clubes com muita expressão por lá - embora incrivelmente o Hulk tenha jogado no Vilanovense (!!). Para além disso ele tinha alguns problemas de saúde (cardíacos), pelo que eu tinha algum receio de ele se exaltar e lhe poder dar alguma coisa má… Só comecei a ir com ele mais tarde, aos 12-13 anos. Sozinho fui a partir dos 16-17 anos, e aí comecei a ir às Antas regularmente, principalmente para os FC Porto vs [5lb], FC Porto vs. Sporting e jogos de consagração.

3. sei que estiveste na inauguração do Estádio do Dragão, para o qual foste um dos que contribuiu para a sua construção (o teu nome figura no mural).
qual a sensação que para todo o Sempre irás recordar desse momento histórico?
O que me recordo melhor é de ver a Isabel Silvestre a aparecer mesmo atrás de mim (na Superior Norte) e a começar a cantar o nosso hino sem acompanhamento musical. Foi arrepiante!
Outra coisa de que me lembro foi que, no dia seguinte, uma cliente me disse: «Xôtor! Acho que o vi ontem, na televisão. Estava no teatro, não estava?»

4. já agora: estiveste de acordo com a sua construção e, por inerência, com a demolição do saudoso Estádio das Antas?
justifica a resposta.
Sim, concordei. Era obrigatório não ficarmos parados no Tempo.
Nestas alturas não nos podemos agarrar a nostalgias. O estádio antigo não tinha instalações dignas para a SAD e para os sócios; não tinha bares, restaurantes, lojas… Penso que não se pode comparar.
Do antigo estádio guardo um pouco de rede - do tempo em que ainda se podia invadir o campo no último jogo. Foi naquele jogo em que se despediu o André, se não me engano [contra o Tirsense, na época 1994/1995], e andaram todos no carro-maca… Belos tempos.

5. à data [Outubro de 2011], qual foi o melhor desafio de futebol a que assististe “ao vivo e a cores” e que nunca esquecerás? (não contam para esta estatística as partidas televisionadas, ok?) e porquê?
Foi um Salgueiros vs. FC Porto, no velho Vidal Pinheiro, em 30 de Abril de 1988. A equipa-maravilha, ainda com muito sabor a Viena. Ficou 5-1 e nunca mais me esqueço da máquina que era essa equipa.
Já em 1989 vi um Feirense vs. FC Porto, que ficou 1-4 [época 1989/1990], com uma exibição "à Maradona" do nosso Rabah Madjer, que marcou três golos. Inesquecível!

6. és sócio do FC Porto? se sim, desde que ano?
e consegues explicar-nos, por palavras tuas, o que te levou a ser um “portista dos quatro costados” – ou seja, a preterir todos os outros pelo amor a este clube (dito) «regional»?
Sou sócio desde a inauguração do novo Estádio [16 de Novembro de 2003].
Em relação aos primórdios do meu portismo, lembro-me que, nos dias depois da final contra a Juventus, decidi que, a partir daí, iria acompanhar o clube mais frequentemente. Pedi ao meu pai para começar a comprar a revista "Dragões" e comecei a gravar vários jogos em vídeo. Para além disso, os meus colegas, nas várias escolas que frequentei, sempre foram 90% portistas, o que também influenciou…

7. mudando a ampulheta para o quotidiano do nosso clube e para o seu actual “estado de graça”.
como avalias a qualidade do nosso plantel principal de futebol? por exemplo, consideras que existem lacunas? e quais são elas (a existir)?
ou ainda: achas que não haverá a necessidade de recorrermos ao mercado de transferências na próxima janela de transferências (potenciais vendas de passes de jogadores incluídas)?
justifica as tuas respostas.
Em relação ao actual plantel, para mim, os jogadores "a mais" são: o Fucile, o Maicon, o Emídio Rafael, o Djalma e possivelmente o Cebolla Rodríguez. Deveriam entrar no plantel: o Danilo, o Iturbe, o Alex Sandro e um novo avançado - como já disse antes, foi um grande erro deixar escapar um talento como o Bryan Ruíz, pois é muito bom e custava ¼ do Falcao…
Pois está claro que se foi difícil arranjar um avançado em Agosto, será muito mais difícil agora. Penso que, no estilo de Falcao e a jogar na Europa, só há o Edinson Cavani e o Ruiz - e que, neste momento, já jogaram na UEFA.
O que precisamos é de um avançado desse tipo: muito móvel e com um remate letal - incluindo um bom jogo de cabeça, que é essencial para o 4-3-3 em que costumamos jogar…

8. pergunta decorrente da anterior: concordas com a actual política de aquisições do clube – e não me refiro só pelo (extraordinário) retorno financeiro que temos tido, mas também pela consequente política de empréstimos de jovens jogadores. porquê?
Tu já falaste muito sobre esse assunto e não quero estar a repisar isso.
Penso que é triste se chegarmos a entrar em campo sem portugueses, mas a verdade é que apostar na formação e na integração progressiva de jovens pode dar o que deu no Sporting CP - que este ano teve que desistir dessa política e mandá-los todos embora…
Admito que é um assunto que me entristece mas que me parece ser uma inevitabilidade. É mais barato comprá-los já “feitos” na América do Sul do que trabalhá-los vários anos…

9. tema do momento: qual a tua opinião sobre o nosso treinado, Vítor Pereira e a sua equipa técnica? achas que é o “maestro” que a nossa “orquestra” necessita, por assim escrever? justifica todas as tuas opções.
O Vítor Pereira não mostrou ainda e em nenhum jogo ser uma mais-valia no nosso banco.
Os jogadores parecem desmotivados, cansados (física e psicologicamente) e derrotados.
Ele não é o «maestro» que nós necessitamos e espero que esta seja uma daquelas (raras) situações em que o nosso grande líder considere a “bomba atómica” do despedimento.

10. se tivesses a oportunidade de estar num cargo de gestão na SAD do nosso clube do coração, quais as três medidas imediatas que adoptarias para o sector da Formação?
(medidas essas que devem respeitar a regra dos três bês:
boas, baratas e bantajosas).
Mais uma vez, este é um assunto em que concordo contigo e talvez seja melhor colocares uma hiperligação para os teus posts sobre este assunto.
Penso que a reintrodução das equipas B com acesso até à Liga de Honra [actual Segunda Liga] poderá eventualmente ser uma forma de melhorar a situação…

11. consegues acompanhar com regularidade a época desportiva das diferentes modalidades em que o FC Porto está envolvido?
se não forem todas as modalidades, por qual (ou quais) sentes um maior “carinho”? porquê?
Nutro uma paixão enorme pelo hóquei em patins. Para mim, é a modalidade-bandeira do nosso clube.
Lembro-me bem da grande equipa que tínhamos no final dos anos 80: Franklim, Vítor Hugo, Vítor Bruno, Alves, Realista; mais tarde: Tó Neves, Pedro Alves, Paulo Alves, Filipe Santos e toda esta geração dos 10 títulos consecutivos. São muitas alegrias!
Também me lembro do tempo de ouro do basquetebol portista, sobretudo no Pavilhão Rosa Mota (Jared Miller, Wayne Engelstad, Marçal, Paulo Pinto, Rui Santos). Cheguei a ir lá ver grandes jogos, com um ambiente espetacular

12. sei que és um leitor assíduo do pasquim da Travessa da Queimada.
consideras que
(a) assiste-nos razão para nos insurgirmos contra diferenças de tratamento (editoriais, jornalísticas ou outras) entre o quotidiano de um grande clube de Lisboa e o FC Porto e que (b) enquanto adepto portista, consegues conviver com essa realidade (se considerares que existe)?
aponta (no máximo) três razões principais que sustentem a tua resposta.
Acho que toda a gente sabe o que se passa nesse jornal.
Admiro o Rui Moreira por escrever lá e, na maior parte dos casos, tenho pena que o Miguel Sousa Tavares nos represente, pois é demasiado radical e (muitas vezes) exagerado na crítica ao nosso clube.
Em relação "ao resto", rio-me com o Delgado e "o" Pinhão. É triste que se intitulem «jornalistas» porque envergonham a classe que dizem pertencer…
Já agora, agradeço-te que nos ofereças esses momentos, porque eu já não gasto dinheiro nesse pasquim há muito tempo, graças a ti! Mesmo nesse aspecto, fazes serviço público com o teu blogue.

13. como avalias a nossa política de Comunicação? por exemplo, achas que toma as dores e defende convenientemente os interesses do nosso clube do coração?
justifica a tua resposta.
Se não gosto de um estilo à "João Gabriel" e/ou "João Malheiro", também não me agrada ver o Rui Cerqueira a mandar calar jogadores ou a insultar jornalistas, seja em que situação for.
Nesse aspecto acho que nenhum clube em Portugal tem uma política acertada de Comunicação e seria necessário ter alguém que fosse a cara do clube e não apenas um censor…

14. tendo presente todas as “peripécias” em torno das últimas eleições presidenciais para o Sporting CP: temes que o mesmo possa acontecer quando Pinto da Costa abdicar de concorrer à presidência do nosso clube? porquê?
sustenta a tua resposta com três razões/factores principais.
Não me parece que tal venha a acontecer.
Acho que o candidato que se assumir como "de continuidade" será eleito confortavelmente. Assim como não tenho quaisquer dúvidas de que o nosso presidente vai apoiar o seu sucessor e que, quando esse tempo chegar, provavelmente será candidato único.
Não é o ideal, mas neste caso, nas primeiras eleições pós-Pinto da Costa, acho que será importante a unidade do clube.

15. o que te apraz dissertar sobre a reabertura do processo “Túnel da Luz” pelo Ministério Público e a instauração de um pedido de condenação aos jogadores portistas visados?
Acho que é tudo ridículo: acho ridículo que os nossos tenham caído naquela esparrela; acho ridículo os stewards fazerem queixa e acho ridículo as queixas terem tido provimento.
O que se vê é um sururu depois de um jogo intenso, à chuva, extenuante…
Provou-se que existiram provocações, mesmo que tenham sido só verbais…
É uma situação triste e ridícula desde o começo…

16. série de “cinco rapidinhas”, em que te peço o melhor título jornalístico/manchete para os “casos” que se seguem:
i) processo “Apito Dourado”:
Vergonha!

ii) processo “Apito Final”:
Inocente!

iii) escutas do “Tripulha” no Youtube:
Pulha!

iv) caso do “Túnel da Luz”:
Cambalacho!

v) «agressões» a Rui Gomes da Silva:
Merecido! (se fosse verdade que existiram)

17. esta pergunta é recorrente: das seguintes opções, descreve o teu sentimento mais profundo (se possível) após um resultado menos conseguido pelo nosso clube do coração.
[só pode ser uma opção. Selecciona-a a negrito, por favor]:
a. – não durmo direito nessa noite

b. – que ninguém me fale durante as próximas vinte e quatro horas, pelo menos – esposa e filhos incluídos

c. – apetece-me mandar tudo para um sítio (ou dois) que eu cá sei

d. – vou correr para o monte mais alto da Serra da Boa Viagem, para poder gritar impropérios e torpilóquios bem alto e não incomodar ninguém

e. – visito sítios do clube rival directo e/ou secção de comentários das edições on-line de jornais desportivos e/ou redes sociais, e insulto tudo e todos

As opções b,c e d também poderiam servir.
Em relação à resposta b, devo dizer-te que, desde que nasceu o meu filho [Joãozinho], que me custa muito menos, porque ele acaba sempre por me chamar para brincar ou então tenho que o deitar a seguir e acabo por me esquecer mais depressa.
Mas antes era muito difícil… Posso dizer-te que já fiquei sem ver TV e ler jornais durante uma ou duas semanas depois de derrotas dolorosas. Não consigo ler nada do que escrevem sobre esses jogos…
Agora tenho por hábito vir desabafar ao teu blogue, o que também ajuda…

18. à data [Outubro de 2011], para ti, qual foi o melhor onze de jogadores que alguma vez envergou a camisola do FC Porto e qual o melhor banco (22 jogadores no total, portanto) que já viste jogar, "ao vivo e a cores"?
[podes “seleccionar” jogadores nacionais e/ou internacionais]

Onze titular (4-3-3):
Vítor Baía; Bosingwa, GeraldãoRicardo Carvalho, Branco; André, Deco, Lucho Gonzalez; Rabah Madjer, Paulo Futre, Fernando Gomes.

Suplentes  [4-3-3]:
Józef Mlynarczyk; João Pinto, Aloísio, Celso, Álvaro Pereira; António Sousa, Anderson, Drulovic;  Mário Jardel, Emil Kostadinov, Domingos.

Menções honrosas: Zé Beto, Jaime Magalhães, Juary, Lima Pereira, Inácio, Rui Filipe, Jaime Pacheco, Hulk, Falcão, Lisandro.

nota:
as hiperligações referem-se aos jogadores "seleccionados" para um onze titular e um banco - que foi o pedido; as demais «menções honrosas» portistas, porque foram referenciadas e são uma referência do clube, merecerão o seu devido destaque em momentos oportunos (assim sejam "seleccionadas" em escolhas futuras)

19. costumas frequentar/consultar blogues afectos ao quotidiano azul-e-branco – o que apelido por «bluegosfera®»?
se sim, qual (ou quais) considera ser(em) de referência e/ou de consulta obrigatória? Justifica a tua resposta, por favor.
Consulto, de forma esporádica, os blogues que tu recomendas.
Confesso que o meu tempo é muito limitado para descobrir coisas novas nesse «maravilhoso mundo»...

20. és visitante regular do TOMO II.
peço-te o favor de indicares um aspecto positivo e um aspecto (ou mais do que um) que gostasses de ver corrigido.
Um aspecto positivo é a qualidade dos posts e a minúcia com que citas e colocas à nossa disposição todas as opiniões favoráveis e desfavoráveis que aparecem na Imprensa sobre o nosso clube. Deve dar tanto trabalho que o mínimo que eu posso fazer é consultar e participar. Aliás: só tu para me fazeres responder a vinte perguntas que contêm umas sessenta sub-perguntas!

Aspectos negativos não encontro…
O teu blogue é a única fonte de conhecimento azul-e-branco que alguém como eu necessita.

21) não há. chegamos ao FIM!. ;)
MUITO OBRIGADO! pela tua colaboração.
espero que a entrevista tenha sido do teu agrado ;)
Muito obrigado por me teres “distinguido” com esta honra.
Ser portista é uma parte muito importante do que eu sou e é um prazer participar neste teu mega-projecto.
Espero que continues com esse espírito, mesmo com as mudanças caseiras que aí vêm!
Abraços azuis e brancos figueirenses!

beijinhos e abraços (tripeiros)!
e Muito Obrigado! pela tua visita :)

3 comentários:

  1. As desculpas dessa tal confederação são patéticas, a pensarem que enganam alguém. Há um ano, nos desportistas do século, não teve lugar um Pinga, por exemplo, que foi o maior ídolo das gerações de trinta e quarenta, mas tiveram lá lugar uns artolas que nunca farão parte da escolhas daqui a outros cem... enquanto o Pinga será eternamente recordado, como se comprova em ainda hoje ser referido por gerações muito distantes dos tempos dele. Sendo mesmo um símbolo-mor do FCP, como se via quando, nas décadas de cinquenta, sessenta e setenta, o maior galardão clubista era o "Troféu Pinga", com que eram reconhecidos os maiores valores portistas e só substituído em 1985 pelo Dragão de Ouro.
    E como isso muito mais... Agora esta de terem sido os da capital a terem desempenhado melhor papel com os países do antigo ultramar, é de bradar... ou não se lembram já da contribuição que representaram na ligação desportiva com a metrópole uns Acúrcio, Carlos Duarte, Miguel Arcanjo, Perdigão, Manhiça, Abel, Lemos, etc, etc. que foram do F. C. Porto e não dos da segunda circular lisboeta! E inclusive a primeira digressão de uma equipa portuguesa ao antigo ultramar português foi do F. C. Porto, em 1949, metendo até viagem de barco, como ficou descrito no célebre livro "Caravana da Saudade". Além de que foi graças à contribuição do FCP, através de intercâmbio com o F. C. Luanda, que foi erigida a cidadela de Luanda; além de que o F. C. Porto sempre teve clubes como delegações e outras instituições também como filiais, nas antigas colónias e actuais países de língua portuguesa.

    ResponderEliminar
  2. Epá, desculpa lá o pretensiosismo de comentar a minha própria entrevista, mas os vídeos do basquete estão espetaculares. Que grande equipa e que grande ambiente no Rosa Mota. Já agora, esqueci de referir uma das minhas maiores alegrias na idade adulta que foi a vitória da "nossa" Fernanda Ribeiro em Atlanta 1996. Que enorme enorme corrida. Nos últimos 400m lembro-me de desanimar primeiro, depois gritar, depois rir e chorar nos últimos 100m. Quem não se arrepia com este final de corrida tem algum desequilíbrio emocional... Aproveito ainda para sugerir que cries uma nova rubrica no teu blog, com vídeos dos nossos maiores momentos (felizmente quase todos do tempo da TV a cores, e alguns já em HD). Aqui vai link: http://www.youtube.com/watch?v=26Jbj2qp6-Y

    ResponderEliminar

vocifera | comenta | sugere
(sendo que, num blogue de 'um portista indefectível', obviamente que esta caixa é destinada preferencialmente a 'portistas dos quatro costados'. e até é certo que o "lápis", quando existe, é azul.)

Show Emoticons