quarta-feira, 17 de abril de 2013

das razões do meu coração (apertado)...




© GoogleMiguel Lima (Tomo II)
(clicar na imagem para ampliar) 


caríssima(o),

fui confrontado por um de vós, via e-mail, em modos que... enfim... esteve quase, quase a ir para o "arquivo geral", em sentido de marcha única... contudo, há uma parte que saliento, e que é a que se segue:

«
[...]
com uma Supertaça no bolso, duas finais perdidas e a cinco jornadas do fim do campeonato a quatro pontos dos "lampiões", seria mais interessante fazeres uma análise da época pelas tuas próprias palavras, para se perceber "de que massa és feito" ou se és só "politicamente correcto".
afinal, o que achas do treinador? é (in)suficiente para o FC Porto? 
e a época foi, ou não foi, bem planeada?
e o nosso plantel? é demasiado curto?
e a equipa B? serve, ou não serve, os interesses da equipa principal?
e a Direcção? foi (in)capaz esta época?

isso sim, é que era!
agora, recomendares
sites e outros blogs... isso é demasiado fácil...
teremos "homem" para aceitar o desafio, com coragem de dizer o que lhe vai na alma, ou vamos ter-te como mais um "ratinho", a esconder-se "nas saias" dos artigos dos teus «caríssimos» opinadores, e sem assumir o que não quer (ou não sabe?) dizer sobre bola?
mister T.
»


apesar de a presente época desportiva ainda não ter findado, e de perceber que sou "fraco" (pois que não tenho o poder de encaixe do caríssimo Vila Pouca), aceitei o desafio.
mais do que sentir que necessito de "libertar" o que está dentro de mim, é a desconsideração de me julgarem «um "rato, como quem afirma, com todas as letras, que sou um cobarde - e, note-se bem!, sem me conhecer pessoalmente e/ou saber o que quer que seja de mim para o aferir de forma categórica e implacável...

posto "isto", não!, não serei (mais) «um "ratinho", a esconder-se "nas saias" dos artigos dos [seus] «caríssimos» opinadores, e sem assumir o que não quer (ou não sabe?) dizer sobre bola» - pelo que esta irá ser (mais) uma longa "posta de pescada, e no seguimento de uma tradição (quase) milenar neste espaço de discussão pública, excepto para lampiões...


antes de tudo, convém realçar que este espaço de discussão pública - (re)afirmo: excepto para lampiões -, para lá de (in)tentar defender os interesses de um Amor comum à esmagadora maioria de quem o visita, é feito de muita carolice e abnegação pela parte de quem o escreve, e que não possui qualquer ligação (profissional, afectiva ou outra) com a actual Direcção da SAD azul-e-branca, e que que também tem massa crítica e que tudo o que é publicado e não sendo da sua autoria, tem a devida ligação para as devidas fontes, e quando assim se justifica.
convém salientá-lo pois há quem julgue que eu tenho contactos especiais com a Direcção do nosso clube do coração, pedindo-me "favores" (como bilhetes para jogos...) que não lembram a ninguém. antes tivesse, pois talvez tivesse mais oportunidades de ver «ao vivo e a cores» o meu clube do coração...

também é necessário relembrar que a minha perspectiva, na redacção dos meus textos, é a da perspectiva do "copo meio-cheio", i.e., da visão positiva e positivista da cena, não havendo espaço para aqueles lugares-comuns do "eu avisei que iria ser assim e tal e coiso".
e que aquela perspectiva implica o conhecimento de duas premissas; a saber: (i) que felizmente o nosso clube do coração é dirigido por um elenco com mais de trinta anos de experiência, e sempre de dentro para fora e nunca o inverso, e que (ii) o questionar da primeira premissa tem um lugar próprio, que é a Assembleia Geral de associados do clube (e nunca uma qualquer caixa de comentários, e pelo maior respeito que me merecem quem nelas escreve, na sua esmagadora maioria).

feito este necessário, intróito, vamos lá, então, "mister T.".

o que penso do nosso treinador?

sabendo que é o escolhido pela Direcção portista - a qual, como já referi, tem mais trinta anos de experiência do que qualquer um de nós, e que em Dezembro de 2010 o considerava «um valor seguro para o Futuro» -, desde Junho de 2011 para comandar os destinos da equipa principal do nosso clube do coração, quem sou eu para questionar e/ou duvidar do seu valor?
mas, sei que esta é uma resposta polida e que não satisfaz as tuas "necessidades".
portanto, sem conhecer (nem sequer pretender desvendar) os segredos "sagrados" do balneário portista (a existirem...) e não pretendendo colocar (muito) em causa o que defendi no início da presente temporada, afirmo que Vítor Pereira, por muito solícito e prestável que seja para com o clube; por muito boa vontade que tenha em perseguir o Sucesso, em todos os jogos da equipa; por muito profissionalismo e dedicação que possua, igualmente em prol do clube; por muita vontade em aprender e em (se) melhorar (por exemplo, houve uma nítida evolução ao nível da comunicação com a Imprensa), não me parece possuir o perfil suficiente para treinador principal da nossa equipa de futebol. penso que (porventura) o nosso clube será "demasiado" para as suas capacidades - que as possui, note-se bem! -, e mesmo sabendo lidar com a pressão - a famigerada "pressão", que indubitavelmente existe num clube com a nossa dimensão e é tremenda.
não quero parecer ingrato, nem o estou a ser; sequer estou a ser vira-casacas. apenas abro o meu coração a uma pergunta directa. e se não o tenho (como afirmá-lo...) "demonstrado" nos meus textos e/ou análises aos jogos, tal deve-se em exclusivo a preferir a sua redacção naquela tal perspectiva positiva e positivista - que dá muito trabalho (é certo), mas será sempre preferível à estrouta de se "semear" a hostilidade (e como mais adiante o afirmarei).

apenas três exemplos que sustentam a minha convicção: não conseguiu adaptar um esquema táctico alternativo viável ao plantel que tem a seu cargo; não me parece que consiga ter pulso no balneário, sobretudo nalgumas "prima-donas" (que as há! exemplo desta época: Danilo);pequenas (grandes) nuances no jogo actual do FC Porto que indiciam um certo atabalhoamento técnico-táctico.
estes são os seus defeitos; mas o homem que dá a cara à luta também tem virtudes: aqueles mesmos profissionalismo, dedicação e abnegação em prol do seu clube do coração (e que é o nosso), fizeram "crescer" e/ou amadurecer alguns jogadores tacticamente, noutras posições que não as suas de origem (casos de Mangala, Maicon, Defour) - e por muito inverosímil que possa parecer; apostou, de forma consistente, em jogadores da nossa formação (Atsu, Sebá, Castro); nunca teve receio em arriscar (por muito que Málaga esteja presente no meu subconsciente - talvez o seu "waterloo" -, não me esquecerei do encontro na Luz, na época passada).

agora, também convém salientar que, porque há um treinador profissional de bancada em cada um de nós, é muito ténue essa linha que separa o nosso homem-do-leme de bestial para besta; e, para tal, basta conferir o que se escreve acerca do onze provável para o jogo seguinte em que a nossa equipa participe, em muitos locais (para mim) de referência nesse "maravilhoso mundo que é a bluegosfera - inclusive nas suas caixas de comentários.
e, já agora, que é muito fácil criticar as suas opções em frente a um computador e/ou sentadinhos no conforto do nosso sofá, findos os jogos, quando é ele (e a sua equipa) que, nos ditos cujos, "dá a cara" e enfrenta o(s) desafio(s) de frente e sem t(r)emores.


a época foi (ou não foi) bem planeada?

para te responder com sinceridade: sei lá se foi!
é que é conveniente recordar aquelas duas premissas iniciais para poder ser, não só coerente, mas sobretudo verdadeiro e rigoroso.
quero acreditar que foi bem planeada, pois que eu acredito em quem dirige os destinos do nosso clube (como o referi) há mais de trinta anos e que sabe mais de Futebol com os olhos fechados do que todos nós, portistas indefectíveis dos quatro costados, com os nossos olhos bem abertos.
agora, também sei que "a máquina" não é infalível, e que o Erro também faz parte da Gestão. e, por um lado, ainda bem que, por vezes, acontecem épocas desportivas menos conseguidas como a actual: a que se segue normal e usualmente "é de arromba"!


o nosso plantel é demasiado curto?
e a equipa B? serve, ou não serve, os interesses da equipa principal?

vou responder àquelas questões de uma só vez, se não te importas.
penso que o nosso plantel actual tem lacunas. aquela que "salta à vista" é o de não possuir um substituto à altura de João Moutinho - o motor e o cérebro da equipa.
depois, não possui laterais "de raíz", sofrendo desse défice à direita (onde me parece evidente que o Danilo não se adaptou tão bem às novas funções como Alex Sandro - talvez por teimosia).
as opções para o meio-campo são limitadas (também não há um substituto à altura para Fernando, e por muito que goste do Defour - sendo que, no meu entendimento de "profissional" leigo na matéria, a posição natural do Castro é a de um "8"), pelo que limitativas para o treinador.
na linha avançada mais ao centro, "apenas" temos o melhor artilheiro do campeonato, o qual é o jogador mais utilizado do plantel, a seguir ao Helton (!!!) - o que revela bastante do poder de fogo que não possuímos (e não me falem no LeBezinho, que tenho um ataque!).
já nas alas, estamos bem servidos (e não estou a ser irónico, e por muito que considere que o Silvestre não ficará por cá na próxima época, pois há duas que se esqueceu do Varela que foi, em tempos).
quando há "buracos" a tapar, por mais do que uma vez que Vítor Pereira recorreu aos (bons) talentos que a equipa B possui: para lá de Sebá, ainda há o Abdoulaye, Mikel, M'Bola, Tozé, Pedro Moreira e Fábio Martins, e na minha opinião. portanto, esta última vai ao encontro do que já o afirmei antes, e que é o de que a equipa B serve os interesses da equipa principal de futebol.
agora, sabendo-se (i) que não possuímos petrodólares como outros clubes (ditos «gloriosos»), e (ii) destas condicionantes, e (iii) do quão proveta é a equipa B (e por muito boa conta que esteja a dar nesta segunda parte do campeonato da Segunda Liga), e (iv) de que o treinador certamente que delas também terá conhecimento, compete-lhe trabalhar com as condições que o clube lhe proporciona e com a massa humana à sua disposição, por forma a atingir os resultados desportivos que a Direcção lhe indicou no início da temporada - pois que no seu final, é a ela que terá que prestar contas (antes mesmo de o fazer junto dos sócios e da massa adepta).


se a Direcção do clube «foi (in)capaz, esta época»?

antes de te responder, (re)afirmo que sou dos que acredita que tudo tem um local e um tempo próprios. portanto, se há actos de gestão que necessitem de ser rectificados e com os quais alguns associados do clube não se revêem, então a minha opinião é só uma:
que constituam uma lista para ir a votos já nas próximas eleições, para que tais visões sejam sufragadas por quem de direito.
que esses (eternos?) descontentes não se limitem por permanecer à frente de um computador e a bitaitar nas caixas de comentários!
e que, assim, de uma forma plural e democrática, consigam passar das palavras aos actos!

portanto, está bom de "ver" que não considero que a gestão da Direcção da SAD azul-e-branca tenha sido incapaz só porque esta época foi menos produtiva em termos de títulos. é que, como já o referi, há factores (internos) que desconhecemos e que certamente terão influenciado o seu percurso mais sinuoso - para lá dos factores externos, que esta temporada, bem...


por último e depois de ter aberto o meu coração, três breves perguntas:

1)

de que nos vale estar(mos) a achincalhar o actual treinador principal da nossa equipa de futebol? se não tivermos presentes as duas premissas referidas anteriormente, o nosso "apoio" será idêntico ao dos assobiadores profissionais que se deslocam ao nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos e o fazem desde o primeiro minuto de jogo, comportando-se, por vezes, bem melhor do que os adeptos dos clubes adversários.

2)

de que vale estar(mos) a criticar tudo e todos na estrutura portista, nessa perspectiva pessimista e negativista do copo "meio-vazio", e sempre pelo "prazer" (mórbido? masoquista?) de o fazer? já não bastam os nossos queridos detractores sempre a (in)tentar denegrir o que deve ser o nosso Orgulho?

3)

de que vale gastar(mos) energias na crítica destrutiva? se ao menos ainda se apresentassem soluções... mas é tão mais fácil destruir do que ajudar a construir, não é?...

somos Porto!, car@go!  
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!


beijinhos e abraços sempre, mas sempre!, muito portistas!
Muito Obrigado! pela tua visita :)



3 comentários:

  1. Depois daquele belíssimo espectáctulo que demos em Guimarães, nunca mais fomos a mesma coisa. Temos de meditar sobre isso, porque desse jogo para a frente perdemos 6 pontos em 24 possíveis.

    Também não gosto de condenar o treinador, e acima de tudo acho que devemos preservar a dignidade, como tu bem fizeste neste post! Uma coisa é criticar por discordar de opções, sistemas, desenrolar da época, etc.. Outra coisa é vilipendiar pessoas.

    Desejo muita sorte ao Vitor Pereira, porque é portista e porque deu o que sabia ao clube. Mas o clube precisa de mais.

    E sim, concordo em absoluto com um detalhe do post: após épocas "menos boas", costumamos arrasar...

    ResponderEliminar

  2. caríssimos,

    muito obrigado! pela vossa visita e pelas vossas palavras

    no fundamental:
    soube (muito) bem este meu desabafo :D

    ps:
    @ Magro
    é tão, mas tão gratificante, perceber que há (igualmente na bluegosfera® quem nos compreenda...
    obrigado!

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    abr@ços a «ambos os dois»
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar

vocifera | comenta | sugere
(sendo que, num blogue de 'um portista indefectível', obviamente que esta caixa é destinada preferencialmente a 'portistas dos quatro costados'. e até é certo que o "lápis", quando existe, é azul.)

Show Emoticons