terça-feira, 17 de junho de 2014

desses afamados fundos sem "poços" (de petróleo, ou outros)...


© google

caríssima(o),

vamos conversar um pouco sobre Futebol?

não!, não me refiro ao atropelo alemão de ontem, em Salvador da Bahia, sequer às hipotéticas (por que patéticas) justificações para uma copiosa derrota que muito deveria envergonhar quem teve a (ir)responsabilidade de escolher os seus protegidos, mais pela bajulice e adulação do que pelo mérito desportivo.
não!, também não me irei referir às pseudo-contratações pré-anunciadas e sempre oficiosas por parte de quem tem por missão primeira (primária?) vender papel e/ou ganhar audiências ao invés de primar pelo rigor informativo.
não!, muito menos irei questionar o arranque da próxima época desportiva do nosso clube do coração, sobretudo pela parte da minha pessoa, que deposita total confiança em quem gere os destinos do FC Porto há mais de trinta anos, com o êxito que se (re)conhece e com a jovialidade dos seus 76 anos de idade.

acima de tudo, preocupou-me (bastante) o teor da notícia que se segue:

(clicar na imagem para ampliar)


eis a parte que ressalvei:

«

Até ao momento, ainda não foram fornecidas as informações solicitadas pela UEFA, pois os clubes têm vindo a analisar juridicamente, junto com os parceiros de cada um dos contraentes dos acordos estabelecidos, quais as informações que podem ser prestadas. É que, em causa, estão as cláusulas de confidencialidade existentes nos contratos. Por ora, o diálogo impera; mas a relutância existente pode suscitar outro tipo de intervenção do organismo que tutela o futebol europeu.

»


no meu entendimento, a dita deverá ser intercalada com esta aqui, datada de Abril deste ano, mormente com a parte que se destaca - e com a devida vénia para o "reflexão portista", na pessoa do caríssimo José Correia:

«

A breve trecho, a inscrição de jogadores para participação nas provas europeias só será possível desde que todos os direitos estejam concentrados no clube ao serviço do qual o jogador milite. A participação de terceiros nos direitos económicos dos atletas será vedada, à semelhança do que já acontece em Inglaterra, França e Polónia. 

»



mas o que é que eu percebo de "fundos de jogadores"?! nada!

o que é que eu sei sobre o "fair play financeiro da UEFA"?! "bolha"!

que soluções alternativas aos "fundos de jogadores" deveriam ser aplicadas?! «sei lá!»


agora, o que eu "sei" é que:

» não me contento  com golos, jogadas brilhantes, goleadas à antiga e momentos kelvin - há outras questões para lá dessas, igualmente importantes (apesar de menos interessantes e emotivas para um adepto de bancada como eu);

» "não vou à bola" com o emproado do Michel Platini, na exacta proporção que ele decididamente "não nos grama", nem um bocadinho;

» o tal "fair play financeiro da UEFA" decididamente é uma grande treta, sobretudo para os grandes tubarões do futebol europeu - basta atentar no ridículo das multas ao City e ao PSG face à severa punição ao Málaga por igual incumprimento financeiro;

» mesmo não sendo um entendido em análises de "Relatórios&Contas" de SAD's, e mesmo percebendo que a conciliação da administração financeira com a gestão desportiva é «uma estratégia de risco», considero que a situação económica do Clube é muito negativa - e não pretendo compará-la com a realidade dos outros (certamente pior do que a nossa, mas que não me interessa para rigorosamente nada);

» em caso de um eventual incumprimento financeiro, por parte do nosso clube do coração, uma hipotética punição, a ocorrer, será certamente (e no mínimo) exemplar;

» no curtíssimo prazo, o Clube terá que encontrar soluções desportivas para o recurso (quase que) sistemático aos fundos de jogadores e mesmo que com consequências na prossecução dos objectivos primordiais em cada época que se inicia, i.e., ser campeão e conseguir o indispensável apuramento para a Champions;

» decorrente do ponto anterior, a aposta na formação do clube deverá ser encarada com (ainda) mais seriedade, por parte da Direcção do Clube - e tal como já o tinha preconizado;

» também num curtíssimo prazo, haverá necessidade de a Direcção do Clube explicar aos sócios, aos accionistas da SAD e à massa adepta em geral - exactamente por esta ordem -, qual o caminho a seguir relativamente a este tipo de questões financeiras que, de certa forma, "colidem" com as nossas expectativas desportivas, para cada época que se avizinha e que são indistintas de uma trivela e/ou de uma bola que bateu no poste e não entrou e/ou de um ressalto de bola maldito e/ou de um golo de bandeira e/ou de um livre directo à gaveta...


"disse!"




6 comentários:

  1. Miguel
    Os "fundos" não são nenhum bicho de 7 cabeças. O que a FIFA/UEFA estão a ver é que, personagens que nada tem a ver com o futebol, os novos ricos, e patos bravos que andam por aí, atolem ainda mais os clubes/SAD's com "ofertas" de dinheiro fácil mas, no fim, ficam com a carne e deixam ficar os ossos.
    Se quiser pode ler uma das crónicas que fiz sobre o assunto http://misticaazulebranca.blogspot.pt/2014/02/emprestimos-investidores-e-figuroes.html
    Verifico que o amigo continua atento...
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar


  3. @ sr. José Lima

    caríssimos,

    muito obrigado! pela visita e pelas suas gentis palavras! e pela referência a uma "posta" da sua autoria que já não me recordava, confesso.

    no fundamental:
    apesar de o Futuro do nosso Amor comum ter começado Ontem, ainda há um longo caminho a percorrer. saibamos estar todos do mesmo lado da "barricada"...

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  4. @ Fernando Tomás

    muito obrigado! pela visita e pelas gentis palavras, sem recurso ao vernáculo e/ou calão e/ou insulto gratuito à minha pessoa!

    infelizmente tive que aplicar censura a um comentário de um adversário em que estive quase, quase a publicar na íntegra. só não o fiz pois o mesmo contém frases que muito me desagradaram e com as quais não posso concordar, mesmo tendo sido escritas de forma "suave", sobretudo por não serem alicerçadas e/ou consubstanciadas em provas cabais do que afirma:

    «O FCP tem uma massa adepta habituada a vencer e duvido que o seu crescimento conquistado resista aos novos desafios. Menos recursos, menos possibilidades de aldrabar, maior dificuldade em vencer»

    «ao FCP não restam muitas épocas para inverter a gestão de quem nunca soube gerir sem o recurso à batota»


    quanto ao resto do seu comentário, eis as partes em que não vislumbrei qualquer problema de maior, apesar de discordar de algum do seu teor:

    «
    Os fundos são uma mera fuga em frente às [repercussões] do acórdão Bosman para os clubes "vendedores". Como os interesses dos clubes "compradores" são os mais tidos em conta na FIFA e UEFA, é agora visto um fim deste meio de investimento, apontado como uma parte do dito Fairplay financeiro.
    Nenhum problema para os clubes cuja origem do seu orçamento não depende de uma base artificial, o das vitórias sucessivas e continuadas(ou até garantidas).
    SCP e SLB têm receitas e base de apoio que não oscilam muito entre sucesso e insucesso, são clubes cuja implantação de cariz nacional é histórica.
    O FCP tem uma massa adepta habituada a vencer e duvido que o seu crescimento conquistado resista aos novos desafios.
    [...]
    Um ciclo vicioso que tende a empurrar o maior clube da cidade do Porto para uma realidade desconhecida desde os anos oitenta e cuja única medida de salvação do estatuto entretanto conquistado, parece ser a venda da SAD a um investidor mas mesmo essa talvez seja impraticável face à lei do Fairplay financeiro!

    No final da ultima década ainda ouvia quase todos os sportinguistas elogiarem os seus gestores e agora constato que os portistas ainda não perceberam o que não volta mais, o que deveria ter sido feito de outra forma enfim, a realidade.
    A negação da realidade coloca em sério risco a existência de três grandes em Portugal, o SCP foi salvo da refundação "in extremis"(passou a viver com os seus recursos e sobretudo deixou de ser aliado de dirigentes desonestos pois as pontuais ajudas no combate ao SLB consumiam-lhe a identidade e grandeza)
    [...]

    Mas para inverter é preciso saber o caminho que se percorre, abrir os olhos...infelizmente não acredito que o FCP seja ajudado pelos seus adeptos, temo que seja quase impossível um grupo razoável de portistas impor soluções e sobretudo as justificações da sua necessidade.

    »

    saudações desportistas
    Miguel | Tomo II

    ResponderEliminar
  5. o Nando '27+3=33' Tomás é dos que em 2004 andava na rua a festejar 'o Porto é finito'

    e 10 anos depois a azia continua.

    ResponderEliminar


  6. @ Carlos

    caríssimo,

    muito obrigado! pela visita e pelas gentis palavras!, mesmo que relacionadas com um off-topic...

    foi exactamente como escrevi, ali em cima: estive quase, quase a publicar o comentário na íntegra. infelizmente e mesmo com Educação, há quem ainda não perceba as razões do nosso sucesso, ou faça tudo por tudo para não querer perceber... é a Vida...

    abr@ço
    Miguel | Tomo II


    ResponderEliminar

vocifera | comenta | sugere
(sendo que, num blogue de 'um portista indefectível', obviamente que esta caixa é destinada preferencialmente a 'portistas dos quatro costados'. e até é certo que o "lápis", quando existe, é azul.)

Show Emoticons