quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

dragão de ouro: "marujo 88"



 © Google


caríssima(o),

é um dos "sobreviventes" do (entretanto e precocemente desaparecido) TOMO I. um "histórico", portanto. e alguém que não se coíbe de mandar o seu bitaite na pagina oficial do TOMO II n"faceboKas.

já não me recordo como por lá apareceu, naquele espaço de discussão pública que, de forma (nada) inusitada, foi crescendo no desapego por uma legítima ingenuidade, no sentido em que gradualmente deixou de ser muito "pueril" nalgumas matérias.
nesse crescimento contribuiu o facto de, muitas vezes e por se falar uma linguagem familiar, comum ao nosso Amor incondicional pelo FC Porto, se abordarem questões com a "voz da experiência""falar mais alto", i.e., com os seus anos de portismo a fazerem pensar (ainda mais) no que redige e no cuidado que deve ter nas suas "postas de pescada, este que vos escreve.


assim sendo e sem mais delongas, na rubrica "binte perguntas a..." - os "dragões de ouro" deste espaço de discussão pública -, o ilustre convidado deste mês (conturbado) de Fevereiro de 2014 é o caríssimo Manuel Moutinho, de seu nome de baptismo, aka "marujo 88" - como se depreende, um dos fidelíssimos comentadores deste espaço de discussão pública e a quem, desde já, agradeço a boa-vontade, a simpatia, a generosidade e a cordialidade em ter aceite o conBite.
e esta é a minha singela forma de lhe agradecer toda a lealdade por continuar a ser um dos seus leitores mais regulares.
tudo para desvendar logo a seguir ao «gosto» do "faceboKas, em «'no pare, sigue, sigue'» ;)


somos Porto!, car@go! 
«este é o nosso destino»:  


beijinhos e abraços sempre! muito portistas!
Muito Obrigado! pela tua visita :)








binte perguntas a… "marujo 88"


I. dados biográficos (gerais)
nome: Manuel da Silva Moutinho | "marujo 88"
data de nascimento (mês, ano): Dezembro de 1954

signo do Zoodíaco: sagitário

naturalidade (Freguesia, Concelho, Distrito)
Cedofeita (Porto | Porto)

residência (Freguesia, Concelho, Distrito):
Santo Tirso (Porto)
área de actividade profissional:
Sargento Ajudante da Marinha de Guerra
estado civil: casado
nr. de rebentos: um 


II. entrevista


1. ainda se lembra da primeira vez que entrou num estádio de futebol? e, já agora: qual foi o estádio, quando foi (basta o ano), que equipas jogaram e qual o resultado final?
A primeira vez que entrei num campo de futebol, para ver um jogo "a sério", foi no campo do Outeiro, do Sporting Clube da Cruz - que, para quem não conhece, fica ali perto do Hospital de São João. Deve ter sido por volta do ano de 1959/60 e sei que foi o Cruz; mas não me lembro quem foi o adversário...


2. qual a primeira recordação – a mais imediata – de “estar”, de “sentir o pulsar da turbe” nsaudoso Estádio das Antas? justifique a resposta.
A primeira vez que entrei no Estádio das Antas foi com o senhor Adriano, que era  meu vizinho (infelizmente já falecido). Foi o jardineiro do FC Porto e tratava da relva do nosso estádio. Eu tinha 10 ou 11 anos, quando me apanhei lá dentro e comecei a ver aquela multidão. Foi uma alegria enorme, para a qual não tenho explicação.


3. uma pergunta que se impõe (e que será quase recorrente nesta rubrica):
concordou com a demolição do Estádio das Antas? porquê?
Não!, porque estava habituado ao estádio. Passei lá a minha infância, estava habituado a ir ver tudo o que lá se passava... Eu passava lá os fins-de-semana para ver os iniciados, os juvenis, os juniores (no campo de treinos principal), e todas as modalidades no Pavilhão Américo de Sá. Também ia muitas vezes à piscina, porque os meus sobrinhos eram atletas do FC Porto. Depois da demolição das instalações, tudo isso acabou...


4. à data [Fevereiro de 2014], qual foi o melhor desafio de futebol que assistiu “ao vivo e a cores” e que nunca esquecerá? porquê?
[não contam para esta estatística as partidas televisionadas, ok?]
O FC Porto vs. 5lb da época passada. Não foi o melhor desafio, mas foi com certeza o que mais me emocionou! Nunca pensei ter uma explosão de alegria como aquela...


5. é um adepto indefectível e dos “quatro costados”, com igual número de anos de portismo aos de anos de vida de algumas das visitas a este espaço de discussão pública.

assim, o que lhe pergunto é se será capaz de descrever, por palavras, o que sentiu durante um autêntico jejum de títulos e que durou tão-somente dezanove anos?
é capaz de explicar à “malta mais nova” como se consegue atravessar tal enorme “deserto”?
pode exemplificar com situações concretas, se assim o entender. e já sabe que “está à vontade”, pois que os “testamentos” são a imagem de marca deste espaço de discussão.
Miguel, eu acho que nós nem nos apercebíamos do que estava a acontecer, tal era o controlo que o 5lb e o spórtém tinham... E os nossos dirigentes eram tão "mansos", tão bons rapazes, que até parece que nós estávamos "" só para animar o Campeonato. Depois, tínhamos algumas alegrias, como aquela vitória por 4-0 contra o 5lb, com os 4 golos do Lemos... Mas, a seguir, tudo voltava ao "normal"...
Até que aconteceu o 25 de Abril, veio a Liberdade e apareceu o Nosso Grande Líder, Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa! Daí para cá, foi o que vocês já sabem: só dá FC Porto!


6. é comummente aceite pelos nossos adversários que o FC Porto desse tempo “é que era um grande clube” – muito provavelmente porque não os incomodava, afirmo no alto da minha (in)experiência de só por cá andar desde Outubro de 1975.

agora, os tempos são outros, sobretudo pela chegada de Jorge Nuno de Lima Pinto da Costa ao comando dos destinos de um Amor que nos é comum. agora, somos os “maus da fita”, um dos «rostos do ‘sistema’», como já o afirmaram e repetem ‘ad nauseam’.
depois deste enorme intróito, pode fazer o favor de recordar a essa mesma “malta mais nova” como era o FC Porto antes do nosso grande presidente? Que diferenças significativas encontra dos tempos “a preto e branco” para esta era total e integralmente “a cores?
A resposta a esta pergunta está dada na anterior: a partir do momento que começámos a ganhar, deixámos de ser "bons rapazes"... 


7. também no decurso das perguntas anteriores e no seu entendimento, considera que a «mística» do nosso clube do coração ainda existe ou, pelo contrário, está a ser substituída subtilmente pelas “pipocas”? e o que é para si «ser Porto»?
desenvolva a sua resposta, por favor. os “testamentos” são a imagem de marca deste espaço de discussão :D
Na minha opinião, a «mística» está a desaparecer porque ir para o estádio, comer pipocas e beber Coca-Cola, é mais "para o sofá"; antigamente estávamos em pé, a gritar e a puxar pelo clube. Ora, se tiver as mãos ocupadas, já não posso aplaudir. Mas isto é a minha opinião.
«ser Porto» é sofrer até ao minuto 92 ou 93 e não sair do estádio antes do jogo acabar.


8. no seguimento da questão anterior, uma outra impõe-se e mesmo que seja recorrente nesta rubrica, pela sua pertinência.
tendo em consideração os climas eleitorais nos clubes (ditos) "grandes" lá para os lados da Segunda Circular, e tendo presente todas as “peripécias” em torno das últimas eleições presidenciais para o spórtém e para o 5lb, pergunto:
teme que o mesmo possa acontecer quando Pinto da Costa abdicar de concorrer à presidência do nosso clube? porquê? sustente a sua resposta com três razões/factores principais.
Temo que sim. É possível que a transição vá ser difícil... Não é fácil substituir o nosso presidente, depois de tudo o que ele fez...


9. e concorda com a actual política de Comunicação do FC Porto para com o associado e/ou comum adepto e/ou simpatizante?
Não concordo.


10. e concorda com a actual política de Comunicação do FC Porto (sobretudo para o “exterior”) – nomeadamente com a aquisição do Porto Canal? porquê? e o que mudaria (a haver mudanças, na sua opinião)?
Não concordo.
FC Porto adquiriu o PORTO CANAL e não tira partido desse poderoso órgão de comunicação social para desmascarar todas as agressões a que o nosso clube tem sido sujeito, por parte da comunicação social. E, pelo que vejo, o PORTO CANAL até aproveita para meter lá os nossos inimigos - por exemplo, Bagão Felix e outros ressabiados do clube do regime...
Se pudesse, mudava o director do canal, porque acho que ele está lá para "agradar a gregos e troianos" e isso, no futebol, não é possível. Para além disso, se não é um canal do FC Porto, para que serve o dinheiro que o clube lá está a gastar?


11. no seguimento destas duas últimas perguntas, concorda que a Direcção do clube deveria (também) dar mais visibilidade a este “mundo” (nada) silencioso e/ou oculto e/ou menos visível e/ou pouco mediático, que é a “Bluegosfera”? em que sentido(s)?
refira (um máximo de) três exemplos (práticos, exequíveis, exemplares), por favor.
Melhorar ainda mais a página oficial do clube, por exemplo, com a informação actualizada dos jogos de todas as modalidades, os seus horários e os locais dos jogos.


12. e tivesses poder na estrutura do nosso clube do coração, o que farias para internacionalizar (ainda mais) a marca “Futebol Clube do Porto”?
refere (um máximo de) três exemplos (práticos, exequíveis, exemplares) e em que os três b’s se apliquem (bom, barato e bantajoso), por favor...
Tentar divulgar o clube nos países asiáticos e árabes, e tentar fazer lá jogos, porque iria dar mais visibilidade internacional ao Clube. Para além disso, é lá que está o dinheiro neste momento...


13. olhemos para o actual “estado de graça” e sobre o quotidiano do nosso clube do “coraçom”, e tendo presente as suas expectativas para a presente época 2013/2014 (que são as de qualquer portista dos "quatro costados" que se preze):
como avalia a qualidade do nosso plantel principal de futebol? por exemplo, considera que existem lacunas? quais são elas (a existir)? e quais são as suas principais virtudes? quem é a estrela mais cintilante? há espaço para se integrarem elementos da nossa equipa B?
justifique as suas respostas.
Em primeiro lugar, temos que olhar para a nossa capacidade financeira e depois para os objectivos que o Clube tem sempre presentes: se é só para ganhar as provas internas, eu acho que esta equipa chega - até porque na equipa B há gente de qualidade que pode ajudar, casos de Mikel, Tozé, Gonçalo Paciência e outros É uma questão de serem integrados aos poucos, como foi o caso do Carlos Eduardo, Herrera, Reyes...
Na minha opinião, a nossa maior lacuna, até agora, tem sido o treinador; mas se ele conseguir corrigir os erros, talvez ainda vá a tempo.
Quanto a "estrelas cintilantes", não tem havido... Lá aparece um ou outro de vez em quando, mas se calhar a culpa não é deles, mas de quem os dirige...


14. e quais são as suas reais expectativas para o que “resta” da presente temporada?
[sendo que, à data de final de Fevereiro de 2014, ainda estamos: na luta pelo título nacional, mesmo que a sete pontos de distância para o primeiro lugar; nas meias-finais da Taça de Portugal e, em princípio, da “ex-taça da bjeka”; nos dezasseis-avos da Liga Europa]
As expectativas não tem sido muito boas, apesar de estarmos nessas 4 frentes como dizes.
Só que a Qualidade do nosso futebol não me dá garantias - se bem que, em Barcelos, melhorámos um pouco... Vamos esperar para ver... "A Esperança é a última a morrer" e o nosso lema é "nunca desistir, enquanto o árbitro não apitar para o fim temos que ir à luta"...


15. já agora e numa análise “o mais fria” e racional possível, como interpretou a questão dos «quatro minutos» de atraso – mas que afinal terão sido «dois minutos e cinquenta segundos»?
(parto do princípio que o sr. sabe ao que me refiro… :D )
É uma verdadeira palhaçada dos dirigentes da Liga, que já deveriam ter sido corridos, porque só estão a destruir o nosso futebol e a dar guarida a pessoas que se estão a aproveitar disso para se porem "em bicos de pés", como é o caso daquele presidente de um clube falido, mas que quer ser falado...


16. por uns breves momentos, imagine-se na presidência de um organismo com responsabilidade na tutela do nosso comezinho futebol: a Liga Portuguesa de Futebol (muito pouco) Profissional.
o que lhe pergunto é:
i) como teria deliberado no caso da «gloriosa» cobertura esvoaçante do ninho da águia/ex-estádio da lucy/salão de festas/cesta do pão/antro da agremiação de Carnide? no seu entendimento, teria havido jogo 48h depois do espectáculo dos flocos de «lã de rocha»?
No caso da águia, só poderiam jogar depois do estádio estar completamente reparado e vistoriado pelo LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil)...

ii) como teria deliberado no caso do encontro que opôs o 5lb ao Gil Vicente FC, a contar para a terceira jornada, da fase de grupos da “ex-taça da bjeka” – a tal «partida que nada decidiria» como foi invariavelmente invocado?
No caso do jogo da liga, tinham que cumprir a Lei - ou seja, o jogo tinha que ser realizado em Barcelos...

iii) como encararia as reuniõs em prol da «credibilização» do futebol luso, promovidas pelo actual visconde desse reino falido e muito distante, lá para os lados de Alvaláxia, e que não decorrem no local próprio (como são as Assembleias-gerias da LPFP?
As reuniões do clube falido só têm um objectivo: é para o seu presidente mostrar que é gente mas, coitado, ninguém o leva a sério... E então com aquela voz de carro velho, ainda pior...

iv) o que faria para impulsionar o jogador luso nos plantéis principais das equipas que disputam os campeonatos tutelados pela LPFP, e sem que os “putos” oriundos dos escalões de formação tenham que «nascer dez vezes»?
Não permitia que jogassem mais do que 4 estrangeiros em cada jogo..

v) o que faria para promover o futebol luso a nível interno?
(pode abordar as questões da qualidade dos espectáculos, do preço dos bilhetes, da comodidade dos estádios, das condições gerais destes últimos, dos horários das partidas, das transmissões televisivas)?
Promovendo a inclusão de jogadores portugueses como referi na resposta anterior.
Quanto à questão da comodidade, ela só existe em quatro ou cinco estádios; muito pior é a qualidade dos relvados e o preço dos bilhetes.
Sobre a questão dos relvados e como se viu no Domingo, em Barcelos - aquilo não é um relvado! -, se os clubes não têm condições para terem um relvado em condições, não podem jogar na primeira divisão!
Quanto ao preço dos bilhetes, é uma vergonha venderem bilhetes a 20 e a 30 euros, para ver equipas a jogar para não perder, como é o caso de 90% ou mais, das equipas portuguesas.
Quanto aos horários, os clubes estão "prisioneiros" das televisões, porque se não fossem as transmissões dos jogos, a maior parte, já não existiria...


17. qual a sua opinião sobre o actual estado de alma do nosso clube em relação às modalidades (ditas) “amadoras” e em que está envolvido?
em concreto, o que lhe pergunto é se o trabalho desenvolvido terá Futuro, se está no bom caminho, se dará frutos, se os projectos têm solidez (a todos os níveis), ou se poderá haver outros exemplos com o que aconteceu à suspensão» do basquetebol sénior?
já sabe que está "à vontade" para desenvolver a sua resposta :D
Eu penso que o trabalho que está a ser feito no Andebol e Basquetebol, é muito bom: estão a ser criadas condições para os jovens portugueses se tornarem os jogadores do futuro, com dois treinadores com muita categoria.
Quanto ao Hóquei, já não penso da mesma maneira. Ainda hoje [19 de Fevereiro] o Valongo empatou no Dragão, com 5 jogadores da formação do FC Porto...


18. esta pergunta é recorrente nesta rubrica.
das seguintes opções, descreva o seu sentimento mais profundo (se possível) após uma derrota do seu clube do coração:
[só pode ser uma opção. selecciona-a a negrito, por favor]
a. – não durmo direito nessa noite
b. – que ninguém me fale durante as próximas vinte e quatro horas, pelo menos – esposa incluída
c. – apetece-me mandar tudo para um sítio (ou dois) que eu cá sei
d. – extravaso o meu sentimento, não só nos meus locais de referência nesse “maravilhoso mundo que é a bluegosfera”® - inclusive no "faceboKas"® -, mas também e sobretudo em blogues lampiões
e. – para lá de mandar tudo para mais dois ou três sítios que eu cá sei e de que me lembrei agora, envio e-mails para tudo que é pasquim a dar conta da minha indignação e/ou revolta interior

19. à data [Janeiro de 2014], e na sua opinião, qual o melhor onze de jogadores que envergaram a camisola do FC Porto e qual o melhor banco (22 jogadores no total, portanto), que já viu jogar, «ao vivo e a cores», e qual o melhor treinador que passou pelo clube?
[
pode “seleccionar” jogadores nacionais e/ou internacionais]

onze titular [4-3-3]:

Vítor Baía;  João Pinto, Ricardo CarvalhoJorge CostaBranco; André, PavãoOliveira; MadjerFernando Gomes e Futre. 
suplentes: 
Mlynarczyc; Bruno Alves, Aloísio, Stefan Demol; Frasco, Deco, Cubillas, HerédiaEmil KostadinovSeninho, Domingos e Jardel 
melhor treinador:

Artur Jorge 


20. enquanto visitante regular do TOMO II, faço-lhe duas sub-perguntas:
i) como teve contacto com este espaço, i.e., como me encontrou?
ii) peço-te o favor de indicares um aspecto positivo deste espaço e um aspecto (ou mais do que um) que gostasses de ver corrigido. 

i)
Não me recordo. Penso que foi através de outro blogue, mas não me lembro.
ii)
Não mudava nada. Gosto dele assim. É diferente...


21. não há. chegamos ao FIM! :D
MUITO OBRIGADO! pela sua colaboração. 
espero que a entrevista tenha sido do seu agrado! :D
Um abraço azul-e-branco!


1 comentário:

  1. Manuel Moutinho, grande pessoa e grande Dragão.
    Parabéns e abraço aos dois

    ResponderEliminar

vocifera | comenta | sugere
(sendo que, num blogue de 'um portista indefectível', obviamente que esta caixa é destinada preferencialmente a 'portistas dos quatro costados'. e até é certo que o "lápis", quando existe, é azul.)

Show Emoticons